Avenida Carlos Gomes, nº 258, Cj: 805

Notícias

Bolsonaro sanciona lei que prevê teto de R$ 100 mil para obras sem licitação durante pandemia


01/10/2020 01:44 - g1.globo.com

Limite anterior variava entre R$ 8 mil e R$ 15 mil. Regras entraram em vigor em maio, quando governo editou medida provisória; lei será publicada nesta quinta, diz Planalto. O presidente Jair Bolsonaro sancionou, nesta quarta-feira (30), a lei que estabelece teto de R$ 100 mil para obras executadas pelo poder público sem licitação durante a pandemia do novo coronavírus. O limite anterior à MP era de R$ 8 mil ou R$ 15 mil, conforme o tipo de obra. Essas regras já estão em vigor desde maio, quando foram editadas pelo governo em uma medida provisória. Com a aprovação no Congresso e a sanção presidencial, o novo limite fica consolidado durante a pandemia e não corre risco de perder validade. A sanção foi anunciada pelo Palácio do Planalto e a lei deve ser publicada no "Diário Oficial da União" desta quinta (1º). O material divulgado pelo governo não cita vetos presidenciais ao texto. A lei, assim como a medida provisória inicial, também autoriza o pagamento antecipado a empresas que firmarem contratos com o poder público. O texto vale para todos os níveis da administração pública – isto é, contratos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. As mudanças valem somente durante a vigência do decreto de calamidade pública, portanto, até 31 de dezembro deste ano. Valores Atualmente, a lei dispensa licitação e autoriza a modalidade de convite para alguns tipos de contrato. São casos em que os custos do edital de licitação não compensam, na comparação com o valor do contrato em si. Essa modalidade de convite tem um processo simplificado. A administração pública escolhe pelo menos três interessados e envia uma "carta-convite" para que as empresas apresentem, dentro de cinco dias, as propostas. Não é necessária a divulgação oficial do edital por órgão público ou via meios de comunicação. A lei para anos "convencionais" prevê essa modalidade para: obras e serviços de engenharia: até R$ 15 mil; compras: até R$ 8 mil. A MP, agora convertida em lei, permite a seleção por convite para contratar sem licitação: obras e serviços de engenharia: até R$ 100 mil; compras: até R$ 50 mil. O teto é estabelecido para o valor global do contrato, de uma única compra. Antecipação de pagamento A nova lei também autoriza pagamento antecipado às empresas contratadas pelo governo, desde que o adiantamento seja "condição indispensável" para garantir a compra ou serviço ou para gerar economia de recursos. O edital deve prever a antecipação do dinheiro e deixar claro que os recursos serão devolvidos à administração pública, corrigidos pela inflação, se o serviço não for feito. Para evitar o descumprimento do contrato, o texto prevê que o adiantamento deve ser feito mediante: comprovação da execução de parte da obra, antes do pagamento do valor total do contrato; garantia como fiança ou seguro de até 30% do valor da obra; emissão de título de crédito; acompanhamento do transporte da mercadoria comprada; exigência de certificação do produto. O texto proíbe o adiantamento de valores se houver "dedicação exclusiva de mão de obra", como acontece com a terceirização de serviços. Outros pontos A MP permite que o contrato seja firmado, obedecendo as novas regras, de março a 31 de dezembro, "independentemente do seu prazo ou do prazo de suas prorrogações". O texto também libera para qualquer obra ou compra aplicação do Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC), criado para situações específicas como Copa do Mundo e Olimpíada, e que serve também para ações do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e obras e serviços de engenharia do Sistema Único de Saúde (SUS). Na votação da Câmara, os deputados acrescentaram pontos ao texto original da MP, mantidos pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), relatora no Senado: inclusão, entre os beneficiados pela medida, de escolas comunitárias e filantrópicas; organizações sociais; organizações da sociedade civil; e pontos de cultura; os termos dos contratos estabelecidos conforme as normas da MP deverão ser publicados em site oficial; altera lei deste ano que também permite a dispensa de licitação para contratação de serviços e aquisição de insumos destinados ao enfrentamento da pandemia. De acordo com a MP, se a compra for realizada por mais um órgão público, poderá ser usado o Sistema de Registro de Preços (SRP), nas modalidades de licitação de pregão e concorrência. O sistema serve como parâmetro para os funcionários públicos. É realizada uma "ampla pesquisa de mercado" e os preços mais vantajosos são publicados em veículo de imprensa oficial do governo para orientar os administradores regionais.



Sine Macapá retorna com atendimento presencial: veja as vagas para 1º de outubro


01/10/2020 01:10 - g1.globo.com


Há oportunidades para caseiro, supervisor de operações na área de controle de produções, costureiro e muitas outras. Entre as oportunidades oferecidas está vaga para tosador Gabriel Matos/Arquivo pessoal O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece oportunidades de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência. Após meses ofertando apenas atendimento on-line devido às restrições pela pandemia de Covid-19, o órgão retornou com os serviços presenciais seguindo todas as medidas de segurança contra o novo coronavírus. A partir de 8h até as 12h, os interessados podem procurar o Sine, localizado na Rua General Rondon, nº 2350, em frente à praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas na capital. Sine-AP retoma suas atividades presenciais seguindo os protocolos de segurança da Covid-19 Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado). Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas: biomédico caseiro consultor de vendas costureiro em geral supervisor de operações na área de controle de produção técnico em manutenção de equipamentos de informática tosador trabalhador rural vendedor pracista Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá



Governo regulamenta crédito habitacional para famílias em assentamentos


01/10/2020 00:31 - g1.globo.com

Normas foram assinadas em cerimônia no Palácio do Planalto nesta quarta. Expectativa é emprestar R$ 340 milhões para construção e reforma de casas. O governo federal regulamentou nesta quarta-feira (30), em cerimônia no Palácio do Planalto, a oferta de crédito habitacional para famílias beneficiárias do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA). A expectativa do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) é emprestar, por meio do programa, até R$ 340 milhões ainda neste ano para a construção e reforma de casas de famílias assentadas. As normas foram assinadas em um evento com o presidente Jair Bolsonaro, os ministros Tereza Cristina (Agricultura) e Onyx Lorenzoni (Cidadania) e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães. De acordo com o Ministério da Agricultura, serão liberados até R$ 34 mil por família para a construção de casas. Para reformas, o valor máximo do crédito será de R$ 17 mil. Os recursos destinados à construção de residências poderão ser utilizados na compra de materiais, pagamentos de serviços de engenharia e na contratação de mão de obra. Já o dinheiro para a reforma somente poderá ser usado para a aquisição de materiais e mão de obra. A taxa efetiva de juros será de 0,5% ao ano, contados a partir da data da concessão do empréstimo. Quem receber o dinheiro terá prazo de três anos para o pagamento da dívida. O beneficiário receberá da instituição financeira um cartão magnético para movimentar os recursos. Entre os requisitos para o recebimento do crédito, está a exigência de que o assentado esteja em situação regular na relação de beneficiários do sistema de informação do programa de reforma agrária. Segundo o presidente do Incra, Geraldo Melo, a ideia é que os primeiros contratos de empréstimo sejam assinados em novembro. As superintendências regionais do Incra deverão definir os assentamentos que terão prioridade na obtenção do empréstimo. Se forem constatadas irregularidades no uso do dinheiro, o beneficiário poderá responder penal, cível ou administrativamente.



O caso das sementes misteriosas


01/10/2020 00:14 - g1.globo.com




Petrobras recebe US$ 9,4 milhões e conclui venda do Polo Lagoa Parda


01/10/2020 00:06 - g1.globo.com


Contrato para venda do ativo à Imetame Energia foi assinado em outubro do ano passado. Contrato da Petrobras para venda do ativo à Imetame havia sido assinado em outubro do ano passado Gabriel Lordêllo/Petrobras A Petrobras concluiu nesta quarta-feira (30) a venda da totalidade de sua participação nos campos terrestres do Polo Lagoa Parda, localizado no Espírito Santo, para a Imetame Energia, informou a estatal em fato relevante. A operação foi finalizada com o pagamento de US$ 9,4 milhões para a Petrobras — valor ajustado que se soma ao montante de US$ 1,4 milhão recebido pela empresa na assinatura do contrato de venda. O Polo Lagoa Parda compreende as concessões de Lagoa Parda, Lagoa Parda Norte e Lagoa Piabanha, tendo registrado produção média de aproximadamente 113,5 barris de petróleo por dia e 1,7 mil metros cúbicos diários de gás natural entre janeiro e agosto deste ano. O contrato para venda do ativo à Imetame havia sido assinado em outubro do ano passado — quando, antes de ajustes, a Petrobras previa o pagamento de pouco menos de US$ 8 milhões no fechamento da transação. "Essa operação está alinhada à estratégia de otimização de portfólio e à melhoria de alocação do capital da companhia, passando a concentrar cada vez mais os seus recursos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultra-profundas", reforçou a estatal no comunicado. Vídeo: Veja mais notícias sobre a Petrobras Petrobras: não há novos reajustes previstos nos preços dos combustíveis



Cyrela é multada em R$ 10 mil por infração à Lei Geral de Proteção de Dados


30/09/2020 23:00 - g1.globo.com


Decisão é uma das primeiras referentes à nova lei, que entrou em vigor no dia 18. Cyrela é multada em R$ 10 mil por infração à Lei Geral de Proteção de Dados Reprodução/TV Mirante A justiça de São Paulo determinou que a construtora Cyrela pague uma indenização de R$ 10 mil por danos morais a um cliente, em uma das primeiras decisões judiciais por infração à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que entrou em vigor no dia 18. Na decisão proferida na terça-feira (29), e passível de recurso, a juíza Tonia Yuka Koroku, da 13ª Vara Cível do Foro Central de São Paulo, relata que o cliente “foi assediado por diversas empresas pelo fato de ter firmado instrumento contratual com a ré para a aquisição de unidade autônoma em empreendimento imobiliário”. Na ação, o cliente informa que após a aquisição de um imóvel no bairro de Moema, recebeu contatos não autorizados de instituições financeiras, consórcios, empresas de arquitetura e de construção e fornecimento de mobiliário planejado. “O contrato firmado entre as partes prescreveu apenas a possibilidade de inclusão de dados do requerente para fins de inserção em banco de dados (Cadastro Positivo)”, diz a ação. A juíza Koroku cita especificamente a infração ao Artigo 2º da LGPD que “prescreve que são fundamentos da disciplina da proteção de dados, dentre outros, o respeito à privacidade, a autodeterminação informativa, a inviolabilidade da intimidade, da honra e da imagem, a defesa do consumidor, os direitos humanos, o livre desenvolvimento da personalidade e a dignidade”. A sentença determina que a empresa não repasse ou conceda dados pessoais, financeiros ou sensíveis do cliente a terceiros, sob pena de multa de R$ 300 por contato indevido e ao pagamento de indenização de R$ 10 mil por danos morais. Em comunicado a Cyrela informou que tomou ciência da decisão e que seus advogados tomarão as medidas judiciais cabíveis. “A companhia reforça seu compromisso de excelência com seus clientes e por isso contratou os melhores profissionais para implementação de um amplo programa para atender a LGPD com o desenvolvimento de treinamentos para todos os seus colaboradores e fornecedores”, disse a empresa. Vídeo: Veja mais notícias sobre a LGPD LGPD: Cresce número de especializações em segurança digital



STF começa a julgar ação que questiona venda de refinarias pela Petrobras


30/09/2020 22:49 - g1.globo.com

Sessão foi encerrada após argumentação das partes; votação começa nesta quinta. Congresso afirma que Petrobras tenta contornar entendimento do STF para concluir venda de ativos. O Supremo Tribunal Federal (STF) deu início nesta quarta-feira (30) ao julgamento de uma ação que questiona a venda de subsidiárias da Petrobras, constituídas a partir do desmembramento da empresa matriz, sem aval do Congresso Nacional. Segundo a ação, a estatal estaria descumprimento um entendimento do próprio STF ao desmembrar a empresa-mãe para vender ativos, incluindo refinarias, sem autorização dos parlamentares. Na sessão desta quarta, foram apresentadas as sustentações orais das partes. O julgamento deve ser retomado nesta quinta, com o voto do relator, ministro Edson Fachin, e dos demais ministros. Em junho de 2019, o STF decidiu que o governo federal só pode vender empresas estatais se tiver aval do Congresso Nacional e abrir licitação, sempre que a transação implicar em perda de controle acionário. A autorização do Legislativo, no entanto, não é necessária para a venda de subsidiárias. Governo e Petrobras comemoraram decisão do STF sobre privatização de subsidiárias em 2019 Uma empresa subsidiária é uma espécie de subdivisão de uma companhia, encarregada de tarefas específicas no mesmo ramo de atividades da empresa-mãe. A Petrobras, por exemplo, tem subsidiárias como a Transpetro. No questionamento ao STF, o Congresso afirma que a Petrobras tem planos de criar subsidiárias para, desta forma, sair da restrição e colocar os ativos à venda. Seria uma forma de burlar o entendimento do Supremo. Segundo o Congresso, a constituição de subsidiárias desse modo caracteriza desvio de finalidade, é proibida e inconstitucional. Isso porque, de acordo com a ação judicial, a decisão não é orientada por novas oportunidades de negócios, mas pelo interesse em alienar (se livrar de) ativos. Essa prática é chamada "privatização branca". No relato da Câmara e do Senado, a Petrobras já divulgou que pretende vender ativos na área do refino. O Congresso cita a venda da refinaria Landulpho Alves (Rlam), na Bahia, até o final do ano, e a entrega de propostas para a Refinaria do Paraná (Repar) no dia 13 de agosto. Com autorização do STF para venda de subsidiárias, Petrobras espera amortizar dívida e ampliar produção de óleo e gás Presidente da Petrobras diz que venda de ativos permite pagar dividas e ampliar produção O que já foi dito Na semana passada, o presidente do STF, ministro Luiz Fux, decidiu levar o caso ao plenário físico. Os ministros Edson Fachin, relator, e Ricardo Lewandowski já tinham votado no plenário virtual para suspender a criação e a alienação de subsidiárias via desmembramento. Nesta quarta, o advogado-geral da União, José Levi, afirmou que o processo de venda das refinarias não descumpre a jurisprudência do STF e está de acordo com o termo firmado com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). “Desde que seja garantida a competitividade entre os interessados na compra e sejam observados os princípios constitucionais da administração pública, a venda das subsidiárias é legal”, argumentou. O procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, disse que é preciso observar dados concretos e que, nos dados concretos, “temos apenas o desinvestimento”. Representando a Petrobras, Tales David Macedo afirmou que o projeto de desinvestimento da Petrobras não está "dilapidando o patrimônio da Petrobras, e o retorno está sendo reinvestido".



Bolsonaro se reúne com equipe econômica após divergência sobre como financiar Renda Cidadã


30/09/2020 22:40 - g1.globo.com

Possível uso de recursos do Fundeb e de verbas reservadas para o pagamento de precatórios no financiamento do programa social motivou críticas no mercado financeiro e entre congressistas. O presidente Jair Bolsonaro reuniu o ministro da Economia, Paulo Guedes, e integrantes da equipe econômica do governo no Palácio do Planalto na noite desta quarta-feira (30), após divergências sobre o financiamento do novo programa social, batizado de Renda Cidadã. Na última segunda-feira (28), após encontro de Bolsonaro com ministros e líderes da base aliada, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), vice-líder do governo e relator da chamada PEC Emergencial, afirmou que o financiamento do Renda Cidadã será feito com recursos do Fundeb (fundo da educação básica) e com verbas reservadas no Orçamento para pagamentos de precatórios (dívidas do poder público reconhecidas pela Justiça). Nesta quarta-feira (30), mais cedo, o ministro Paulo Guedes (Economia) deu declaração em sentido diferente. Ele afirmou que o objetivo do governo, ao examinar o uso de dinheiro do pagamento de precatórios, não é financiar o Renda Cidadã, mas manter as despesas sob controle. 'Não é calote', diz Bittar sobre uso de precatórios no Renda Cidadã Guedes: ‘Renda Cidadã não pode ser financiada por puxadinho’ Márcio Bittar também compareceu ao Palácio do Planalto nesta quarta-feira. Ao ser questionado por jornalistas sobre o relatório que tratará do programa, o senador disse que o texto está sendo finalizado. Compareceram ao Palácio do Planalto para a reunião, além de Guedes, os secretários Bruno Bianco (Previdência e Trabalho), Waldery Rodrigues (Fazenda) e José Tostes Neto (Receita Federal), todos do Ministério da Economia. A reunião terminou por volta das 20h, mas todos saíram sem dar declarações à imprensa. "Desculpe, não vou falar", resumiu Bittar. Segundo o Planalto, também participaram da reunião os ministros Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Entre os parlamentes, além de Márcio Bittar, compareceram os líderes do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR). Repercussão negativa A possibilidade de uso de recursos dos precatórios no novo programa social gerou repercussão negativa no mercado financeiro e entre congressistas. Para especialistas em contas públicas, a proposta de rolar o pagamento de precatórios – despesa obrigatória do governo – para financiar um novo programa social foi uma ruptura, uma sinalização do abandono do compromisso fiscal. À TV Globo, um líder parlamentar próximo ao governo falou em possibilidade de "recuo" quanto ao uso do dinheiro dos precatórios para financiar o Renda Cidadã. "O governo trabalha para não criar problema de ordem jurídica", disse. Segundo esse parlamantar, há chance de Bittar tirar do relatório a questão dos precatórios porque isso, afirmou, seria "inconstitucional". A ideia de uso de verbas do Fundeb também repercutiu mal. Para o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que tem feito críticas públicas a Paulo Guedes, não há votos na Câmara para retirar recursos do fundo e destiná-los ao Renda Cidadã. Guedes também tem criticado Rodrigo Maia. Em uma transmissão ao vivo pela internet nesta quarta o ministro disse haver boatos de um acordo entre o presidente da Câmara e a esquerda para "não pautar as privatizações" de empresas públicas.



Banco do Brasil formaliza parceria em banco de investimento com UBS


30/09/2020 21:46 - g1.globo.com


O capital social total da joint venture está dividido na proporção de 50,01% para o UBS e 49,99% para o BB-BI. Agência do Banco do Brasil não funciona nesta quinta-feira (9). Nayara de Paual/TV Integração O Banco do Brasil anunciou nesta quarta-feira (30) que sua formalizou parceria com o UBS para negócios de banco de investimento e corretora de valores, abrangendo Brasil, Peru, Argentina, Chile, Paraguai, e Uruguai. "A parceria estratégica consolida-se em uma nova companhia e suas controladas, iniciando suas operações como uma plataforma de banco de investimentos completa, combinando a rede de relacionamentos do BB no Brasil e sua forte capacidade de distribuição para pessoas físicas, com a expertise e capacidade de distribuição global do UBS", afirmou o BB em fato relevante. O capital social total da joint venture está dividido na proporção de 50,01% para o UBS e 49,99% para o BB-BI. Cada acionista indicará três membros para o conselho de administração, sendo o presidente apontado pelo BB e o vice, pelo UBS. A diretoria executiva será formada por profissionais das duas casas, mas o UBS indicará o diretor-presidente. BB e UBS anunciaram memorando de entendimento há um ano para a parceria, que já foi aprovada pelo Cade e pelo Banco Central. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Disney fecha em queda em NY após anunciar 28 mil demissões


30/09/2020 21:42 - g1.globo.com


A companhia afirma que no segundo trimestre deste ano teve prejuízo de US$ 4,72 bilhões, ante lucro de US$ 1,43 bilhão no mesmo período de 2019. Mickey e Minnie dão boas-vindas para os visitantes na reabertura da Disney de Paris nesta quarta (15) Charles Platiau/Reuters As ações da Walt Disney Company na bolsa de Nova York fecharam em queda de 1,05% nesta quarta-feira (30), cotadas a US$ 124,08. A empresa anunciou, ontem, que realizará 28 mil demissões em razão do fechamento da Disneyland durante a pandemia da Covid-19 — o lugar, localizado na Califórnia, é o único dos parques temáticos da empresa que ainda não retomou pelo menos parte das suas atividades. Wall Street fecha em alta com avanço de negociações para novo estímulo O ritmo de queda foi mais acentuado no começo do dia, quando os papéis recuaram 2,40% no pré-mercado da Bolsa de Nova York (Nyse). A companhia afirma que no segundo trimestre deste ano teve prejuízo de US$ 4,72 bilhões, ante lucro de US$ 1,43 bilhão no mesmo período de 2019. Segundo a empresa, o parque temático Disneyland possui 80 mil empregados. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Wall Street fecha em alta com avanço de negociações para novo estímulo


30/09/2020 21:38 - g1.globo.com


Presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, demonstraram esperança de avanço nas negociações partidárias para o estímulo econômico. Wall Street Lucas Jackson/Reuters Os mercados de ações dos Estados Unidos fecharam em firme alta nesta quarta-feira (30), conforme lideranças do governo continuaram a negociar um novo pacote de alívio à pandemia e dados econômicos positivos ajudaram os principais índices a encerrar o terceiro trimestre em território positivo. O Dow Jones subiu 1,2%, para 27.781,7 pontos, o S&P 500 subiu 0,83%, para 3.363 pontos, e o Nasdaq avançou 0,74%, para 11.167,51 pontos. Todos os três principais índices aumentaram com força depois que a presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, demonstraram esperança de avanço nas negociações partidárias para o estímulo econômico. Bovespa fecha em alta, mas tem mês de maior queda desde março Os índices reduziram os ganhos depois que o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, alertou que as partes permanecem "distantes" em suas negociações. "Recebemos notícias econômicas bem boas, e as discussões contínuas entre Mnuchin e Pelosi geraram esperanças de que poderíamos ter estímulo antes da eleição, antes que McConnell jogasse água fria", disse Paul Nolte, gerente de portfólio da Kingsview Asset Management em Chicago. "Volatilidade tem sido a palavra de ordem durante todo o mês e não acho que estejamos fora de perigo ainda", acrescentou. Os participantes do mercado também estavam digerindo o tenso debate presidencial de terça-feira, quando o presidente Donald Trump e o opositor democrata Joe Biden trocaram insultos enquanto discutiam sobre a pandemia de Covid-19, saúde e economia. Caos e interrupções no primeiro debate entre Trump e Biden Uma enxurrada de dados econômicos surpreendeu positivamente. O índice ADP Nacional de Emprego ultrapassou as expectativas dos analistas e as vendas de casas pendentes atingiram um pico histórico. Os principais índices acionários encerraram setembro com suas primeiras quedas mensais desde março, quando as paralisações obrigatórias afetaram a economia. Mas os índices mostraram ganhos no terceiro trimestre, com o S&P desfrutando de sua maior sequência de vitórias em dois trimestres desde 2009 e o Nasdaq registrando seu maior ganho em dois trimestres desde 2000. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Governo diz que prorrogará, até dezembro, programa que permite redução de jornada e salário


30/09/2020 21:38 - g1.globo.com

Ministro Paulo Guedes chamou programa de 'extraordinariamente bem sucedido' e anunciou extensão por mais dois meses. Programa começou em abril para mitigar efeitos da pandemia. O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou nesta quarta-feira (30) que o governo vai prorrogar, por mais dois meses, o programa que autoriza empresas a reduzirem proporcionalmente, ou suspenderem, a jornada e o salário dos funcionários. O Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEM) foi instituído com uma medida provisória em abril e, após duas prorrogações, estava mantido até meados de outubro. Com a promessa de mais dois meses, o prazo deve ser levado até 31 de dezembro. "Lançamos os nossos programas de crédito, de preservação de vidas, de descentralização de recursos pra estados e municípios [...] O programa emergencial, que é o BEM, que nós chamamos de BEM, que foi um programa extraordinariamente bem sucedido, tanto que nós estamos prorrogando por mais dois meses", declarou Guedes em uma apresentação virtual sobre os dados do desemprego. Redução de jornada e salário: veja perguntas e respostas Programa já tinha sido prorrogado em julho; veja as principais regras Ao fim da coletiva pela internet, o secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco, reafirmou a prorrogação e os elogios ao programa. "Se há uma demanda, não há porque não se fazer a prorrogação. Programa bem feito, que evita demissão, traz renda ao trabalhador, garante o emprego", declarou Bianco. Se seguir o mesmo modelo das anteriores, a prorrogação permitirá a adesão de novas empresas e a extensão dos acordos que já estão em andamento. Nos dois casos, o contrato integral deverá ser retomado ao fim do mesmo prazo. O que prevê o programa O programa foi criado em razão da pandemia do novo coronavírus e prevê que o governo recomponha parte da renda dos funcionários por meio de um auxílio financeiro. O valor da recomposição corresponde a uma porcentagem do que o empregado receberia de seguro-desemprego e é depositado diretamente na conta do trabalhador. Como contrapartida, o empregador é obrigado a garantir o emprego desse funcionário por um período igual ao da redução. Ou seja: se o contrato for reduzido ou suspenso por quatro meses, o trabalhador não poderá ser demitido nos quatro meses seguintes. Se optar pela demissão no período, além dos valores normais da decisão, o empresário terá de indenizar o empregado. Retomada do emprego Brasil cria 249 mil vagas formais de emprego no melhor agosto em 10 anos A economia brasileira gerou 249.388 empregos com carteira assinada em agosto, informou nesta quarta (30) o Ministério da Economia. Segundo o governo, o resultado foi "puxado pelo aumento das contratações que seguem em tendência de crescimento desde maio". No mês passado, foram contratados 1.239.478 trabalhadores formais, e demitidos 990.090. Esse foi o segundo mês consecutivo de geração de empregos formais e, também, o melhor resultado para meses de agosto desde 2010 ou seja, em dez anos.



Latam assina acordo de empréstimo de US$ 2,45 bilhões


30/09/2020 20:54 - g1.globo.com


Companhia reportou prejuízo de cerca de US$ 140 milhões em agosto. Latam assina acordo de empréstimo de US$ 2,45 bilhões Latam/Divulgação O Grupo Latam Airlines assinou com credores e acionistas na terça-feira (30) o acordo de empréstimo DIP (“debtor in possession”) no valor de US$ 2,45 bilhões. Esse modelo de empréstimo dá preferência de pagamento para o credor que ofereceu o recurso à empresa em recuperação judicial. A informação foi divulgada em comunicado apresentado pela companhia hoje à Securities and Exchange Commission (SEC). A proposta de financiamento DIP foi aprovada pelo juiz James L. Garrity Jr, da Corte de Falências do Distrito Sul de Nova York, no dia 17. O acordo de empréstimo está sujeito às leis do Estado de Nova York. Prejuízo Como parte das obrigações assumidas no processo de recuperação judicial, a Latam passa a apresentar mensalmente um relatório de desempenho. Nesta quarta-feira (30), a companhia informou que acumulou um prejuízo de US$ 139,77 milhões em agosto. Em julho, o prejuízo foi de US$ 170,30 milhões. Os números divulgados não foram auditados. A receita líquida em agosto atingiu US$ 201,04 milhões. No mês de julho, a receita foi de US$ 162,07 milhões. As despesas operacionais somaram US$ 342,75 milhões em agosto, ante US$ 323,56 milhões em julho. O prejuízo operacional foi de US$ 141,71 milhões no oitavo mês do ano, ante uma perda de US$ 161,49 milhões em julho. O saldo de caixa e equivalentes de caixa da companhia em agosto foi de US$ 930,89 milhões, ante US$ 1,108 bilhão em julho. No mês de agosto, a Latam apresentou um gasto de US$ 25,07 milhões, com escritórios de advocacia e assessores financeiros que atuam no processo de recuperação judicial do grupo. No mês anterior, os gastos foram bem menores, de US$ 516 mil. Vídeo: Veja mais notícias da Latam Latam cancela voos da Hungria para o Brasil e passageiros pedem providências para voltar



Governo vai estender IOF zero para operações de crédito até o fim do ano


30/09/2020 20:52 - g1.globo.com

O governo decidiu prorrogar a isenção das alíquotas de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre operações de crédito até 31 de dezembro, informou ao blog uma fonte da equipe econômica. O imposto foi zerado em abril, por conta do impacto econômico da pandemia do coronavírus, e já havia sido estendido por 90 dias. A medida perderia validade na próxima sexta (2). Governo já estudava prorrogação do IOF zero na semana passada; veja comentário Com a isenção, a alíquota deixa de incidir sobre o crédito tomado no mercado – barateando os empréstimos de micro e pequenos empresários, por exemplo. Desde abril, a perda de arrecadação do governo com a medida é estimada em R$ 14 bilhões. A prorrogação da alíquota zero por mais três meses poderia gerar uma renúncia adicional de R$ 7 bilhões.



TCU mantém determinação para que INSS elabore protocolo de perícias por telemedicina


30/09/2020 20:14 - g1.globo.com

Prazo dado pelo tribunal vence na próxima segunda. Plenário confirmou decisão provisória dada pelo ministro Bruno Dantas a pedido do CNJ; há quase 800 mil perícias na fila. O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) confirmou nesta quarta-feira (30) o prazo de cinco dias para que o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) elabore um protocolo para a realização de perícias médicas à distância, com recursos de telemedicina. Uma decisão provisória havia sido dada na última sexta (25) pelo ministro Bruno Dantas, mas o Ministério da Economia só foi notificado na segunda (28). Por isso, segundo o TCU, o prazo dado ao INSS vence na próxima segunda (5). Com impasse sobre perícia por telemedicina, 800 mil segurados aguardam na fila do INSS A decisão de Dantas, agora confirmada pelo plenário do TCU, atende a um pedido do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). “Eu não estabeleci o critério, eu não determinei que o INSS atenda doença X, Y ou Z. Eu determinei: INSS, avalie quais doenças podem ser periciadas através de telemedicina. Há inúmeras doenças que podem ser periciadas por telemedicina”, disse o ministro durante a sessão desta quarta. Na decisão provisória, Bruno Dantas afirmou que o ideal seria realizar as perícias de modo presencial, mas reconheceu que isso ainda não é totalmente possível – apesar das tentativas do INSS de reabrir as agências. “Como não é possível o retorno de 100% das perícias presenciais, é necessário que sejam verificadas, por ora, alternativas para minimizar os transtornos dessa paralisação para a população brasileira mais vulnerável”, afirmou o ministro Bruno Dantas na decisão. Peritos contestam reabertura No último dia 18, o governo determinou que os peritos voltassem ao trabalho presencial. A Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP) se posicionou contra esse retorno e acionou a Justiça. Peritos que não apareceram para trabalhar no INSS atendem nos próprios consultórios A associação argumentou que as agências do INSS, reabertas depois do fechamento em razão da pandemia do novo coronavírus, ainda não cumpriam as especificações de segurança sanitária. Enquanto o governo e a categoria dos peritos travam uma queda de braço, o país tem cerca de 1,5 milhão de processos na fila do INSS, dos quais quase 800 mil aguardam perícia médica. O INSS tem 3,5 mil peritos, mas nem todas as agências estão liberadas para o retorno desses profissionais – e mesmo nos postos reabertos, parte dos profissionais deve seguir em trabalho remoto. A decisão do TCU No pedido ao TCU, o CNJ demonstrou preocupação com o aumento da judicialização por falta de perícia médica. O ministro Bruno Dantas aponta que o CNJ publicou, em abril, resolução autorizando a perícia por meio eletrônico. Os procedimentos não foram implementados, segundo o conselho, principalmente pela oposição do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Subsecretaria de Perícia Médica Federal da Secretaria Especial de Trabalho e Previdência do Ministério da Economia. INSS estima que atendimento nas agências só será normalizado daqui a seis meses O uso da telemedicina também foi autorizado emergencialmente por uma lei de abril deste ano. Segundo o ministro, ao não aplicar a telemedicina para perícias, o governo parece estar se dobrando a "lobbies corporativos" em vez de se preocupar com a população mais vulnerável. Durante a sessão desta quarta, Dantas afirmou ainda que não cumprir uma lei federal por uma pressão corporativa do CFM é um crime de “lesa pátria”, que deixa ao abandono milhares de brasileiros. O ministro Vital do Rêgo, que é formado em medicina, declarou durante a sessão que rejeitar a telemedicina é como se o INSS estivesse cego à modernidade. Segundo o ministro, o INSS não pode se negar a cumprir a lei. "A telemedicina é possível nos tempos de hoje, basta se preparar", afirmou.



Petróleo fecha sessão em alta e acumula ganhos no trimestre


30/09/2020 19:47 - g1.globo.com

No acumulado do trimestre, o WTI avançou 2,41%, mas recuou 5,60% no mês de setembro; já o Brent teve alta de 2,79%, no trimestre, e recuou 6,58% em setembro. Os contratos futuros de petróleo fecharam a quarta-feira (30) em alta, depois de os dados de estoques nos Estados Unidos terem indicado a terceira queda semanal consecutiva na oferta doméstica de petróleo. As perspectivas renovadas de que um novo pacote de estímulo fiscal seja aprovado no país também impulsionou os ativos de risco, ajudando as referências do petróleo a terminar o terceiro trimestre com ganhos leves. Os contratos futuros do West Texas Intermediate (WTI) para o mês de novembro terminaram o dia com ganhos de 2,36%, aos US$ 40,22 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex). No acumulado do trimestre, a referência avançou 2,41%, mas recuou 5,60% no mês de setembro. Já os preços do Brent para dezembro terminaram o dia em alta de 1,78%, aos US$ 42,30 o barril, na ICE, em Londres. No acumulado trimestral, a referência teve alta de 2,79%, mas recuou 6,58% em setembro. Pesquisa mostra disputa apertada pela presidência dos Estados Unidos O Departamento de Energia (DoE) informou hoje que os estoques de petróleo dos EUA caíram pela terceira semana consecutiva, em cerca 2 milhões de barris na semana encerrada em 25 de setembro. O número contrariou a expectativa dos analistas consultados pelo "Wall Street Journal", que previam alta de 800 mil barris no período. Já o Instituto Americano de Petróleo (API) relatou, ontem, uma queda de 831 mil barris. "Os dados revelaram uma queda inesperada no petróleo bruto, mas os investidores devem, definitivamente, tomar nota do grande aumento nos estoques do centro de distribuição em Cushing, Oklahoma", disse Tariq Zahir, membro gerente da Tyche Capital Advisors, ao MarketWatch. Os dados da EIA mostraram que os estoques de petróleo bruto no centro de armazenamento de Cushing, Oklahoma, subiram em 1,8 milhão de barris na semana. No geral, os riscos para os preços do petróleo continuam negativos, com outra onda do novo coronavírus podendo ser prejudicial à demanda, disse Zahir. “Junte isso com a oferta adicional que voltou ao mercado da Líbia." “O mercado de petróleo está lutando para interpretar o aumento contínuo de infecções por covid-19 e o fato de que o total de mortos ultrapassou um milhão nesta semana”, escreveu Paola Rodriguez-Masiu, analista sênior de mercado de petróleo da Rystad Energy, em uma nota. A contagem global de casos confirmados de covid-19 subiu para 33,78 milhões, nesta quarta, de acordo com dados agregados pela Universidade Johns Hopkins, enquanto o número de mortes subiu para 1,010 milhão. Os EUA têm o maior número de casos, com 7,2 milhões, e o maior número de mortes, 206,4 mil. “É um número assustador e embora estejamos, agora, acostumados a ver piorar as notícias da pandemia, esse marco não é fácil de ignorar”, disse a analista. EUA são o país com mais mortes por Covid-19 Os estoques de gasolina nos EUA, enquanto isso, aumentaram em 700 mil barris na semana passada, enquanto os estoques de destilados caíram em 3,2 milhões de barris, informou o DoE hoje. Ainda nesta quarta, o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, disse que republicanos e democratas seguem discordando sobre o tamanho e o escopo do novo pacote de ajuda à economia dos EUA, mas que espera ter uma melhor compreensão da situação amanhã. “Vamos fazer mais uma tentativa séria para fechar o acordo”, disse Mnuchin durante o “Alpha Summit”, um evento organizado pela emissora “CNBC”. “Espero que possamos obter um acordo de compromisso com Pelosi.” A perspectiva de que um acordo possa ser alcançado em Washington dá força aos ativos de risco, impulsionando também os preços das commodities.



Chromecast agora tem sistema 'smart' Google TV e controle remoto


30/09/2020 19:40 - g1.globo.com


Empresa anunciou acessório que adiciona funções a televisores antigos em evento on-line, junto com um novo alto-falante inteligente e dois smartphones da linha Pixel. Não há previsão para a chegada dos produtos no Brasil. Novo Chromecast roda Google TV. Produto ainda não tem data para ser lançado no Brasil. Reprodução/Google O Google lançou nesta quarta-feira (30) uma nova versão do Chromecast, acessório que adiciona funcionalidades de smart TV a televisores antigos, além de um novo alto-falante Nest e dois novos smartphones Pixel. A empresa não deu detalhes de preços no Brasil e disse que não há previsão para a chegada dos aparelhos ao país. A maior novidade do novo Chromecast é que ele não dependerá mais de um smartphone para funcionar. O produto roda o Google TV, uma interface parecida com a que encontramos em Smart TVs. O sistema tem mecanismo de busca de conteúdos, loja de aplicativos e outros recursos. Com isso, ele também ganhou um controle remoto, que além dos botões tradicionais de volume e navegação, traz atalhos para serviços de streaming e acesso ao assistente de voz. Nas gerações anteriores, o acessório era controlado apenas pelo celular. O aparelho é conectado na entrada HDMI de televisores e concorre com o Amazon Fire TV Stick e Apple TV. Nos Estados Unidos, o Chromecast com Google TV entrou em pré-venda com preço de US$ 49,99 (cerca de R$ 280 em conversão direta). Ainda não há valores definidos para o Brasil. Durante o evento de lançamento, a fabricante disse que planeja vendê-lo em outros mercados ainda em 2020. Embora gerações anteriores tenham sido disponibilizadas no Brasil, a companhia afirmou ainda não ter previsão para a chegada da novidade por aqui. Google Nest Audio Google Nest Audio é o novo alto-falante inteligente da marca. Reprodução/Google O Google também mostrou um novo Nest, alto-falante inteligente que conta com o assistente de voz da empresa. O produto é voltado para quem procura som mais potente do que o Nest Mini. A companhia diz que ele é 75% mais alto e tem um grave 50% mais forte do que o seu primeiro alto-falante. O Google também afirma que o dispositivo responde mais rápido aos comandos de voz. Com ele é possível pedir para tocar música, controlar objetos inteligentes, obter informações sobre o clima, entre outras funções. Assim como o novo Chromecast, a empresa disse que não há previsão para a chegada do produto no Brasil. Nos EUA, ele custará US$ 99,99 (R$ 562). Novos smartphone Pixel Pixel 5, novo smartphone fabricado pelo Google. Divulgação/Google Os últimos lançamentos foram dois novos smartphone Pixel, ambos com suporte às redes 5G. Essa linha de aparelhos não é vendida no Brasil. Fabricada pelo próprio Google, o Pixel conta com uma versão "pura" do Android e recebe atualização por mais tempo do que aparelhos de outras fabricantes. Uma das novidades é o Pixel 5, com tela OLED de 6 polegadas com resolução Full HD. O painel também tem suporte para HDR10+ e taxa de atualização de 90 Hz, que apresenta animações mais fluídas. A ficha técnica inclui um Snapdragon 765G, processador ligeiramente inferior ao de alguns concorrentes, 8 de RAM, 128 GB de armazenamento e bateria de 4.080 mAh. Os modelos fabricados pelo Google se destacam pela qualidade da câmera, graças à inteligência artificial da empresa que "melhora" a captação das imagens. Em termos técnicos, o sensor principal tem 12.2 MP com abertura f/1.7, e uma lente secundária grande-angular com resolução de 16 MP. A câmera de selfies promete fotos melhores no "Modo Retrato". O Pixel 5 será vendido nos EUA por US$ 699, (cerca de R$ 3.945). Pixel 4A 5G tem visual muito parecido com o Pixel 5, mas tem tela maior. Divulgação/Google O outro lançamento foi o Pixel 4A com 5G, com os mesmos recursos de câmera do Pixel 5A. Ele tem tela OLED de 6,2 polegadas com resolução Full HD, processador Snapdragon 765G, 6 GB de RAM e bateria de 3.885 mAh. Ele será vendido nos EUA por US$ 499, (cerca de R$ 2.815). Assista os últimos vídeos de tecnologia do G1 -



TCU dá prazo para governo provar viabilidade financeira da Infraero e mantém teto para salários


30/09/2020 19:35 - g1.globo.com

Segundo TCU, estatal deverá ser incluída no orçamento da União se não conseguir se manter sozinha. Em 2019, Corte proibiu salários acima do teto constitucional, hoje em R$ 39,2 mil. O Tribunal de Contas da União (TCU) abriu prazo de 180 dias, nesta quarta-feira (30), para que o governo federal comprove a sustentabilidade financeira da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). Se não puder provar essa viabilidade em um relatório, o TCU diz que a União deverá apresentar ações para incluir a empresa na lista de "estatais dependentes" e, por consequência, no orçamento federal. Na sessão desta quarta, os ministros do TCU também mantiveram a decisão que impede a Infraero de distribuir participação nos lucros e pagar salários acima do teto constitucional para funcionários e diretores. Em 2019, TCU mostrou que 86% dos salários de estatais são superiores aos do setor privado; relembre TCU: 86% dos cargos em estatais têm salários superiores a vagas semelhantes no setor privado O teto constitucional para os servidores públicos federais é de R$ 39,2 mil, equivalente ao salário de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). Porém, empresas estatais independentes – que pagam funcionários com recursos próprios, sem recorrer aos cofres da União – não precisam respeitar esse limite. Apenas as estatais dependentes, que pagam salários e custeio com repasse do órgão superior, estão sujeitas ao teto. As proibições à Infraero foram estabelecidas em abril de 2019, quando o TCU aprovou uma medida cautelar (provisória) em plenário. No entendimento dos ministros, apesar de estar listada como estatal independente, a Infraero não tem comprovado essa capacidade de honrar salários sem o aporte federal. Segundo o relator do processo, ministro Vital do Rêgo, a política pública de transferir aeroportos para a iniciativa privada tende a agravar a situação da Infraero. Vital lembrou ainda que a pandemia da Covid-19 teve efeitos negativos no setor aeroportuário. Eletrobras Os ministros decidiram ainda derrubar a cautelar que impedia a Eletrobras de reajustar salários ou qualquer outra remuneração de diretores e trabalhadores. A decisão provisória tinha se baseado em argumentos semelhantes aos aplicados à Infraero. “A Eletrobras conseguiu demonstrar que não é dependente. Assim, como não estão mais presentes os requisitos da cautelar, cabe revogá-la”, afirmou o ministro Vital do Rêgo.



Raia Drogasil lança marketplace de saúde


30/09/2020 19:33 - g1.globo.com


Canal marcará entrada da empresa em mais nichos de produtos e serviços próprios e de terceiros ligados à saúde. A rede de farmácias Drogasil foi uma das que mais cresceu nos últimos anos em Salvador Danutta Rodrigues/G1 A rede de drogarias Raia Drogasil anunciou nesta quarta-feira (30) o lançamento de um marketplace de saúde, dentro de um plano para acelerar seus negócios com maior uso do comércio eletrônico, que disparou na esteira da pandemia da Covid-19. Em apresentação a analistas e investidores, a companhia afirmou que o marktplace marcará sua entrada em mais nichos de produtos e serviços próprios e de terceiros ligados à saúde, incluindo alimentação saudável e suplementos. O canal também terá testes e exames e serviços como telemedicina. "Nosso marketplace é candidato natural para liderar a vertical de saúde no Brasil", afirmou a companhia na apresentação. Em um fato relevante separado, a Raia Drogasil informou previsão de abrir 240 lojas por ano em 2021 e 2022. Às 16h04, a ação da Raia Drogasil disparava 7,4%, maior alta do Ibovespa, que avançava 1,15%. Semanas atrás, a Reuters publicou que o Fleury, maior grupo de medicina diagnóstica do país, vai ampliar o uso de tecnologia de dados para impulsionar no país a medicina preventiva, fronteira aproximada nos últimos meses com o salto da telemedicina após a Covid-19. A empresa lançou uma plataforma eletrônica alimentada por prontuários médicos, cujos dados os próprios pacientes decidem se compartilham com médicos, e planos de saúde. "Seremos o maior marketplace de saúde do país", disse na ocasião o presidente do Fleury, Carlos Marinelli.



STF decide que governos estaduais podem explorar loterias


30/09/2020 19:08 - g1.globo.com

Monopólio da União tinha sido definido em decreto de 1967. Com a decisão, estados podem administrar atividades lotéricas, mas precisam seguir as regras federais sobre o tema. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (30), por unanimidade, que a exploração de loterias não é exclusividade da União – e que, por isso, os governos dos estados e do Distrito Federal também podem gerenciar atividades lotéricas. A Corte analisou ações que questionaram o monopólio da União para a exploração de loterias, previsto em decreto de 1967. O texto impedia, desde então, a criação de novas loterias estaduais e expansão das já existentes. As loterias estaduais vinham se amparando em decisões liminares para continuar abertas. Elas reclamam que ações de governos estaduais tentando barrar o funcionamento têm provocado insegurança jurídica. Para os ministros do STF, a União tem poder para regulamentar e estabelecer o sistema de loterias, mas não a exclusividade da exploração. Os estados que desejarem ingressar na atividade devem observar as normas federais. “Tal situação retira dos estados significativa fonte de receita”, afirmou o ministro Gilmar Mendes, relator das ações, que votou contra o monopólio da União. “A exploração de loterias ostenta a natureza de serviço público.” “A Constituição não prevê exclusividade na exploração pela União, não prevê a possibilidade de alguns estados manterem essas loterias, enquanto outros estão absolutamente proibidos”, disse Alexandre de Moraes. O voto do relator foi acompanhado pelos ministros Edson Fachin, Rosa Weber e Dias Toffoli. A ministra Cármen Lúcia entendeu que limitar a exploração das loterias pelos estados significaria fragilizar a federação. Em seguida, o ministro Ricardo Lewandowski disse que não há, na legislação vigente, impedimento para a exploração pelos estados. O ministro Marco Aurélio Mello e o presidente do STF, ministro Luiz Fux, encerraram o julgamento acompanhando o relator. “Malgrado a atividade normativa seja da competência exclusiva, não obsta que atividade administrativa seja exercida pelas atividades federadas", concluiu Fux. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Guedes diz que governo não usará dinheiro de precatórios para financiar programa social


30/09/2020 18:45 - g1.globo.com

Na segunda, após reunião com Bolsonaro, vice-líder do governo disse que Renda Cidadã seria financiado com recursos de Fundeb e precatórios. Anúncio provocou efeito na bolsa e no dólar. Paulo Guedes diz que governo não vai usar precatórios para financiar Renda Cidadã O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira (30) que o objetivo do governo, ao examinar o uso de dinheiro destinado ao pagamento de precatórios, não é financiar o novo programa social, batizado de Renda Cidadã, mas manter as despesas sob controle. Na última segunda-feira, após uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro e ministros, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), vice-líder do governo e relator da chamada PEC Emergencial, afirmou que a proposta de emenda à Constituição a ser enviada ao Congresso vai prever o financiamento do Renda Cidadã com recursos do Fundeb (fundo da educação básica) e com verbas reservadas no Orçamento para pagamentos de precatórios. Renda Cidadã: governo mantém plano de usar precatórios e recurso do Fundeb Os precatórios são dívidas do poder público reconhecidas pela Justiça — quando alguém ganha um processo na Justiça contra um ente público e tem valores a receber, passa a ter um precatório e entra na fila do pagamento. O ministro da Economia disse entender que os precatórios são "dívida líquida e certa" e acrescentou que o governo "vai pagar tudo". Mas disse que é preciso examinar quando há despesas "subindo explosivamente". "Não para financiar programas, que não é regular, não é uma fonte saudável, limpa, permanente, previsível [de recursos]. Mas é natural, se estamos querendo respeitar teto [de gastos], passar uma lupa em todos os gastos", disse ele. Guedes afirmou que deu essas explicações para "baixar o barulho". Nos últimos dias, a possibilidade de limitar o pagamento de precatórios, citada por Bittar, gerou críticas de analistas e resultou na queda da bolsa de valores e no aumento no preço do dólar. Após a repercussão negativa do anúncio no mercado financeiro e no meio político, assessores próximos ao presidente passaram a defender uma mudança no programa. Ana Flor sobre Renda Cidadã: governo discute abandonar proposta de usar precatórios "Vamos examinar e ver o que está acontecendo ali, não para financiar programa A, B, ou C, mas para respeitar o teto, cumprindo todos compromissos. Para baixar o barulho. O governo achou um eixo político, sofreu no primeiro ano, agora está encontrando um eixo político. Acordos estão sendo costurados e Ricardo Barros [líder do governo na Câmara] disse que há consenso em ir avançando no pacto federativo", declarou Guedes. Segundo o ministro, os precatórios se tornaram uma "indústria". "Aparentemente, há uma indústria de precatórios no Brasil, que saíram de R$ 10 bilhões, R$ 12 bilhões, R$ 13 bilhões no governo Dilma para R$ 30 [bilhões] no governo Temer e agora estão chegando a R$ 54 bilhões ano que vem. É um crescimento galopante, explosivo. Estamos examinando com foco no controle de despesas", declarou. Ele afirmou que os estudos da equipe econômica não se destinam à criação de um programa "populista". "Estamos fazendo nossos estudos, estamos avaliando nossas despesas. Na mesma hora ligaram uma coisa a outra: 'Esse estudo aqui é para fazer um programa populista'. Não é essa relação direta. Da mesma forma que acabamos com privilégios na reforma da Previdência, diminuímos custos excessivos de juros", disse. O ministro da Economia afirmou que o programa social em gestação representa uma "linha evolucionária" de proteção aos mais pobres. Ele afirmou que o Bolsa Família foi uma junção de três programas sociais e afirmou que o Renda Cidadã, em estudo, pode juntar 27 programas sociais, o que permitiria um "pouso suave, local de aterrissagem para o auxílio emergencial", que termina em dezembro. "Essa ação é transitória e temos de aterrissar esse auxílio em um programa social robusto, consistente e bem financiado. Como é uma despesa permanente, tem de ser financiado por uma receita permanente. Não pode ser financiado por um puxadinho, por um ajuste. Não é assim que se financia o Renda Brasil. É com receitas permanentes. Não estamos nos desviando dos nossos programas", declarou Guedes. Segundo analistas, porém, para manter o teto de gastos, o governo terá de cancelar outras despesas permanentes a fim de conseguir viabilizar o novo programa social. A área econômica já propôs acabar com o abono salarial, e estudou congelar o salário dos aposentados por até dois anos, mas essas alternativas foram rejeitadas pelo presidente Jair Bolsonaro. Desoneração Guedes voltou a dizer que o governo tem por objetivo desonerar a folha de pagamentos das empresas. Segundo ele, esse é o "mais cruel, mais feio, imundo dos impostos", uma "arma de destruição em massa de empregos". O ministro declarou que é preciso desonerar a folha "para sempre, e não somente para quem tem lobby em Brasília e por mais um ano apenas". A área econômica vinha falando sobre um imposto sobre transações digitais a fim de levar esse plano adiante, mas essa proposta ainda não foi formalmente apresentada.



Bolsas europeias têm maior alta desde junho, impulsionadas por bancos


30/09/2020 17:34 - g1.globo.com


O índice Stoxx 600 Europe terminou o dia em alta de 2,22%, em Londres, o FTSE 100 avançou 1,46%, enquanto, em Frankfurt, o DAX 30 teve ganhos de 3,22%. Otimismo global para os ativos de risco ajudou a impulsionar as bolsas do continente Reuters Os principais índices europeus terminaram a segunda-feira (28) em forte alta, anotando seus maiores ganhos diários desde o início do mês de junho. O otimismo global para os ativos de risco ajudou a impulsionar as bolsas do continente hoje, em movimento de recuperação após as perdas da semana anterior. O índice Stoxx 600 Europe terminou o dia em alta de 2,22%, aos 363,39 pontos. Em Londres, o FTSE 100 avançou 1,46%, a 5.927,93 pontos, enquanto, em Frankfurt, o DAX 30 teve ganhos de 3,22%, aos 12.870,87 pontos. Em Paris, o CAC 40 subiu 2,40% e fechou o pregão aos 4.843,27 pontos. Em Milão e Madri, as referências tiveram ganhos de 2,47% e 2,46%, respectivamente. Destaques Os ganhos das bolsas europeias foram impulsionados pela alta nos papéis dos bancos. As ações do HSBC saltaram 8,89%, após a chinesa Ping An Insurance ter aumentado sua participação na instituição de 7,95% para 8%. Na semana passada, as ações do HSBC recuaram a seu menor nível desde 1995. O "Global Times", jornal que é considerado porta-voz do governo chinês, publicou, na semana passada, que o HSBC poderia ser adicionado à lista de "entidades não confiáveis" da China. A ação da Ping An, hoje, ajuda, na visão de analistas, a conter essas preocupações. Outras instituições financeiras europeias avançaram na esteira da notícia. Os papéis do NatWest Markets subiram 7,71%, do Lloyds Banking avançaram 7,58%, do Standard Chartered tiveram ganhos de 7,48% e do Deutsche Bank se valorizaram 7,35%. O segmento dos bancos avançou 5,37%, maiores ganhos setoriais dentro do Stoxx 600 nesta segunda. A ArcelorMittal fechou o dia em alta de 10,92%, após concordar em vender duas operações nos EUA para a Cleveland-Cliffs, em um negócio avaliado em US$ 3,3 bilhões, incluindo passivos. Já a Diageo avançou 6,09%, após a gigante das bebidas alcoólicas ter anunciado que suas perspectivas para o ano fiscal melhoraram, impulsionadas, em grande parte, pelos Estados Unidos devido à demanda "resiliente" do consumidor e à categoria de destilados, que continua ganhando participação no mercado total de bebidas alcoólicas. Avanço da covid-19 Na semana passada, o aumento dos casos de covid-19 na Europa pressionou as bolsas locais, já que os agentes financeiros temem a adoção de novas e duras medidas de restrição à atividade econômica. Com isso, o Stoxx 600 registrou sua pior semana em três meses. Segundo a BlackRock, no entanto, o aumento nos casos de covid-19 na zona do euro pode não prenunciar um retorno aos bloqueios nacionais totais. "Os casos crescentes refletem parcialmente um maior número de testes. Também é importante ressaltar que as taxas de mortalidade não aumentaram de acordo com os casos, pois a idade média dos novos infectados pela covid diminuiu", afirma a gestora. "A retomada da zona do euro ainda está superando as expectativas, mas parece estar perdendo ímpeto. A mobilidade na região está, agora, apenas 10% abaixo dos níveis pré-covid, contra 25% nos EUA", pondera. Vídeo: Mais notícias sobre a Europa Pandemia na Europa: Merkel se diz disposta a evitar volta do isolamento



Brasil cria 249 mil vagas formais de emprego no melhor agosto em dez anos


30/09/2020 17:32 - g1.globo.com

Informações foram divulgadas pelo Ministério da Economia nesta terça (30). No acumulado dos oito primeiros meses do ano, porém, país registra perda de quase 850 mil vagas. Economia brasileira cria 249.388 empregos com carteira assinada, em agosto A economia brasileira gerou 249.388 empregos com carteira assinada em agosto, informou nesta quarta-feira (30) o Ministério da Economia. Segundo o governo, o resultado foi "puxado pelo aumento das contratações que seguem em tendência de crescimento desde maio". No mês passado, foram contratados 1.239.478 trabalhadores formais, e demitidos 990.090. Esse foi o segundo mês consecutivo de geração de empregos formais e, também, o melhor resultado para meses de agosto desde 2010 ou seja, em dez anos. No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, porém, as demissões superaram as contratações, e o país registra o fechamento de 849.387 vagas de emprego formais. Desemprego no Brasil sobe para 13,8% em julho, maior taxa desde 2012, e atinge 13,1 mi As demissões refletem o impacto da pandemia do novo coronavírus no mercado de trabalho brasileiro, que empurrou a economia mundial para uma forte recessão. PIB tem tombo recorde de 9,7% no 2º trimestre e Brasil entra de novo em recessão Distribuição regional De acordo com o Ministério da Economia, foi registrada criação de vagas formais nas cinco regiões do país no mês passado. Sudeste: +104.702 vagas Nordeste: +62.085 postos Sul: +42.664 vagas Norte: +22.272 postos Centro-Oeste: +17.684 vagas Ao mesmo tempo, ainda segundo dados oficiais, todos os estados, e o Distrito Federal, registraram saldo positivo em agosto. São Paulo liderou a abertura de vagas, com 64.552 postos, seguido por Minas Gerais (+28.339 vagas) e Santa Catarina (+18.375 postos formais).



Huawei vai revelar detalhes de sua tecnologia para mostrar que não representa risco de segurança


30/09/2020 17:27 - g1.globo.com


EUA afirmam que a empresa chinesa representa um risco de segurança aos países que utilizarem seus equipamentos de telecomunicações. Companhia nega as acusações. Celulares da Huawei são exibidos em uma loja de serviços de telecomunicações em Hong Kong Kin Cheung/AP A Huawei está pronta para ter sua tecnologia examinada minuciosamente para mostrar que não representa qualquer risco de segurança aos países que incluírem seus equipamentos em redes de telefonia móvel 5G, afirmou o diretor da subsidiária italiana da companhia chinesa nesta quarta-feira (30). "Vamos abrir nossos sistemas, estamos disponíveis para sermos vistoriados e respondermos a toda esta pressão política", disse Luigi De Vecchis em cerimônia de abertura de um centro de cibersegurança do grupo em Roma. O comentário foi feito no mesmo dia em que o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, começou uma visita de dois dias à Itália. Os EUA afirmam sem mostrar provas que a Huawei representa um risco de segurança aos países que utilizarem seus equipamentos em redes de telefonia. A Huawei tem negado repetidamente as acusações. China diz que se opõe firmemente às restrições dos EUA sobre a Huawei EUA proíbem contratos públicos com empresas que usam produtos de companhias chinesas Reino Unido exclui Huawei de sua rede 5G após sanções dos EUA contra a chinesa "Não tenho palavras para dizer que um país do tamanho dos EUA ataque outro por meio da destruição, via acusações sem fundamento, de uma companhia deste país", disse De Vecchis. O executivo afirmou que apesar de toda a pressão a Huawei não tem intenção de deixar o mercado italiano e que está considerando adicionar outros produtos à sua oferta local, como os voltados para a área de energia. "É extremamente improvável que a Huawei vai deixar o mercado por causa da atual situação", disse o executivo. Durante visita ao premiê italiano, Giuseppe Conte, Pompeo ressaltou os significativos laços e investimentos entre EUA e Itália e alertou sobre os riscos do país fazer negócios com a China, disse um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1



Endividamento tem a primeira queda desde maio, diz CNC


30/09/2020 16:48 - g1.globo.com

Agosto foi o pior da série histórica. Neste mês de setembro, o acumulado passou para 67,2%. O endividamento dos brasileiros caiu pela primeira vez em setembro, desde de que passou a sofrer efeitos da pandemia do novo coronavírus. É o diz a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O levantamento mede as alterações mensais das dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, crédito consignado, empréstimo pessoal e prestação de carro e de casa. Neste mês de setembro, o número de brasileiros com essas contas em aberto caiu 0,3 ponto percentual comparado ao mês de agosto. Endividamento das famílias bate novo recorde em agosto, aponta CNC O mês passado foi o pior da série histórica e resultado de três altas consecutivas do indicador. Neste mês de setembro, o acumulado passou para 67,2%. Ainda que represente uma reversão de trajetória, a queda deste mês não foi suficiente para anular o impacto da Covid-19. No comparativo de 12 meses, o endividamento cresceu 2,1 pontos percentuais. Pesquisa mostra que desemprego e endividamento aumentaram nas favelas do Rio Inadimplência Os números de inadimplência também melhoraram. A diferença de endividamento para inadimplência é que o segundo deixou de pagar prestações da dívida que fez. Segundo a pesquisa da CNC, o total de famílias com contas em atraso também apresentou a primeira redução mensal desde maio, de 26,7% para 26,5% entre agosto e setembro. Na janela anual, contudo, houve alta de 2 pontos percentuais. Há ainda um passo além entre os inadimplentes, que são aqueles que declaram não ter condições de quitar as dívidas atrasadas. Essa parcela se manteve quase estável no comparativo mês a mês, saindo de 12,1% para 12%. No mesmo período de 2019, esse indicador era de 9,6%. “Para apoiar a retomada, é importante seguir ampliando o acesso ao crédito com custos mais baixos, mas, principalmente, possibilitar o alongamento de prazos de pagamento das dívidas para mitigar o risco da inadimplência no sistema financeiro”, diz em nota o presidente da CNC, José Roberto Tadros. Taxa de juros do cartão de crédito chega a 310,2% ao ano Renda A relação entre endividado e renda seguiu cursos diferentes na pandemia. Os resultados dão clareza de que, enquanto os mais pobres precisaram recorrer à rolagem dos pagamentos para não pressionar mais o orçamento, os mais ricos contiveram o consumo e agora partem para o crédito. As famílias que recebem até 10 salários mínimos acompanhou a curva geral e teve a primeira diminuição do endividamento desde maio, com 69% neste mês contra 69,5% em agosto. Por outro lado, famílias com renda maior que 10 salários tiveram o primeiro aumento, chegando a 59%. Com relação à renda, houve uma mudança nas trajetórias do endividamento. Entre as famílias que recebem até dez salários mínimos, o percentual caiu pela primeira vez desde maio, chegando a 69% do total – após ter alcançado o recorde de 69,5%, em agosto. Entre as famílias com renda acima de dez salários, esta mesma proporção teve o primeiro aumento desde abril, subindo a 59%. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



TSE lança parceria com redes sociais contra desinformação durante a campanha eleitoral


30/09/2020 16:25 - g1.globo.com

Tribunal lançou parceria com Facebook, Instagram e WhatsApp para combater a desinformação durante a eleição municipal. Robô enviará informações oficiais do TSE pelo WhatsApp. TSE fez uma parceria com as redes sociais para coibir disparos em massa nas eleições O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) lançou nesta quarta-feira (30) parceria com Facebook, Instagram e WhatsApp para combater a desinformação durante a eleição municipal deste ano. Entre as ferramentas disponíveis, está um canal de comunicação específico com o TSE para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa de mensagens pelo WhatsApp (leia mais abaixo). Eleições municipais 2020: TSE faz parceria com redes sociais para combater ‘fake news’ Reportagem do jornal "Folha de S.Paulo" apontou a contratação, pelas campanhas de candidatos à Presidência, de empresas que ofereciam serviço de disparo em massa nas eleições de 2018. Essa irregularidade é alvo de investigação na CPMI das Fake News. Em fevereiro, o sócio de uma das empresas afirmou à comissão que prestou serviços de disparo para as campanhas do presidente Jair Bolsonaro (na época no PSL, hoje sem partido), de Fernando Haddad (PT) e Henrique Meirelles (MDB). Ações no TSE pedem a cassação da chapa de Bolsonaro por suposto abuso devido a ataques cibernéticos em rede social para beneficiar a candidatura do hoje presidente da República. Não há data para o julgamento. Também estão entre os serviços oferecidos à Justiça Eleitoral pelas plataformas, sem custo aos cofres públicos, ferramentas para divulgação de medidas sanitárias na votação, figurinhas com temática das eleições e um robô no WhatsApp para circular informações oficiais do TSE sobre a votação. A campanha eleitoral começou oficialmente neste domingo (28). O horário eleitoral na televisão e no rádio começa no dia 9 de outubro e vai até 12 de novembro. O primeiro turno das eleições será no dia 15 de novembro e o segundo turno no dia 29 de novembro. O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que o objetivo da parceria é “eliminar os participantes de má-fé que, dolosamente, procuram fazer mal às pessoas e à democracia”. “Devemos transformar a revolução tecnológica em favor do bem e temos mecanismos para neutralizar o mal. Estamos procurando eliminar essa circulação do mal, das notícias falsas, das manifestações de ódio, das campanhas de desinformação, sem controle de conteúdo”, afirmou o ministro. CPI das Fake News: sócio diz que empresa fez disparos em massa para Bolsonaro e Haddad Denúncia de disparos em massa Dario Durigan, diretor de políticas públicas para WhatsApp no Facebook, explicou que o aplicativo terá uma plataforma de denúncia de contas suspeitas de automação e disparo de mensagens em massa. “O TSE receberá denúncias das demais instancias da Justiça Eleitoral e dos eleitores e encaminhará ao WhatsApp para que esse verifique e revise o comportamento de contas suspeitas de acordo com seus termos de serviço", disse Durigan. "Sabemos que há empresas que fornecem aos candidatos serviços ilegais de disparo em massa de mensagens. Por isso, o WhatsApp solicita que os candidatos rejeitem essas propostas e façam as devidas comunicações às autoridades constituídas”, completou ele. O diretor afirmou que o Whatsapp banirá contas que fizerem disparo automatizado e massivo de mensagens. Veja a seguir as ferramentas disponibilizadas pelas redes sociais à Justiça Eleitoral: Facebook Brasil Ferramenta “Megafone” vai divulgar, antes da eleição, mensagens no "feed" de notícias sobre as eleições de 2020, sobre sua organização, e sobre medidas de segurança e sanitárias no dia da votação. Instagram Estarão disponíveis aos usuários figurinhas, chamadas de "stickers", com a temática das eleições municipais e divulgação da campanha sobre mais mulheres na política. WhatsApp Inc. Criação de "chatbot", um robô, para ajudar na circulação de dados oficiais do TSE sobre o processo eleitoral e a votação. Para receber essas informações e manter conversas com o canal interativo, o eleitor deve adicionar o número: +55 61 9637-1078 na lista de contatos ou acessar o serviço pelo link: wa.me/556196371078 Canal de comunicação específico com o TSE para denunciar contas suspeitas de realizar disparos em massa, o que não é permitido nos Termos de Serviço do aplicativo nem pela legislação eleitoral. "Stickers/figurinhas sobre a temática eleitoral para utilização no aplicativo.



Faturamento de pequenas e médias empresas com vendas online cresce 118% durante a pandemia


30/09/2020 16:15 - g1.globo.com


Levantamento mostra o aumento nas vendas entre fevereiro e agosto deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019. Vendas no varejo digital crescem durante a pandemia Reprodução TV Globo O faturamento de pequenas e médias empresas com vendas online cresceu 118% entre fevereiro e agosto deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019. O volume de vendas no mesmo período aumentou 98%. Os números fazem parte de um levantamento feito pela Neotrust/Compre&Confie, empresa de inteligência de mercado. Coronavírus e pequenos negócios: veja o que foi autorizado pelo governo e alternativas para enfrentar a crise Empresas digitalizadas se endividaram menos durante a pandemia, diz pesquisa Segundo a estudo, o fechamento das lojas por causa da pandemia do coronavírus acelerou o processo de digitalização desses negócios e incentivou o investimento no ambiente digital como principal canal de vendas durante a quarentena. Confira o volume de compras por região: Sudeste: 69% Norte e Nordeste: 13% Sul: 12% Centro-Oeste: 6% As categorias que mais cresceram no volume de vendas foram: Cama, mesa e banho: 393% Móveis: 241% Decoração: 217% Saúde: 212% Câmeras, filmadoras e drones: 205% “A chegada da pandemia causou um grande impacto na forma que essas empresas se relacionam com seus consumidores. Muitas dessas lojas não tinham familiaridade com o varejo online e tiveram que acelerar essa migração. A adaptação foi necessária e o resultado tem sido excelente”, afirma André Dias, presidente-executivo da Neotrust/Compre&Confie. Conheça empreendedores que estão superando a crise



Vendas pendentes de moradias nos Estados Unidos têm máxima recorde em agosto


30/09/2020 15:55 - g1.globo.com

Índice subiu 8,8% contra uma expectativa pouco acima dos 3%. Os contratos para compra de moradias usadas nos Estados Unidos saltaram para uma máxima recorde em agosto, sugerindo que a atividade do mercado imobiliário está ganhando velocidade em meio a taxas hipotecárias em mínimas recordes. A Associação Nacional de Corretores informou nesta quarta-feira (30) que seu Índice de Vendas Pendentes de Moradias, com base em contratos assinados no mês passado, saltou 8,8%, para uma máxima recorde de 132,8 no mês passado. Economistas consultados pela Reuters esperavam que os contratos pendentes de moradias, que se tornam vendas após um mês ou dois, subissem 3,4% em agosto. As vendas pendentes de moradias aumentaram 24,2% na comparação anual. O mercado imobiliário tem avançado mesmo com a pandemia de Covid-19 deixando milhões sem emprego. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia



Gente do campo: o agricultor que consegue produzir soja orgânica em grandes quantidades


30/09/2020 15:47 - g1.globo.com


Rogério Vian mostrou que, com pesquisa e tempo, dá para obter o principal item de exportação do Brasil em escala comercial, sem uso produtos químicos. Rogério Vian, produtor rural de Mineiros, sudoeste de Goiás Leonardo Frota/Divulgação Um produtor rural tem conseguido colher grandes quantidades de soja em Goiás apenas com técnicas da agricultura orgânica e sem uso de produtos químicos. Em um primeiro momento, é difícil imaginar que a soja, principal item de exportação do Brasil, produzida quase que em escala industrial, possa ser mais sustentável. Rogério Vian viu que é possível, mas não é fácil. Ele levou pelo menos 12 anos para conseguir transformar a lavoura convencional em uma livre de produtos químicos. Agora, os resultados agronômicos e financeiros passaram a compensar, diz o produtor de 44 anos. “Os primeiros anos de orgânico foram horríveis. No primeiro ano, colhemos 28 sacas por hectare enquanto os outros colhiam mais de 60. Este ano eu já consegui área com 60 sacas por hectare. O orgânico é um nicho e eu estou pronto para ele”, diz. Produtor de soja orgânica conta como é a atividade Filho de agricultores, ele nasceu em Barra do Garças, em Mato Grosso, e vive há 40 anos em Mineiros, sudoeste de Goiás. A transição de uma produção convencional, com uso de fertilizantes químicos e agrotóxicos, para uma atividade que conta com apenas produtos biológicos, como microrganismos, feromônios e insetos para o controle de pragas e doenças da lavoura, foi aos poucos. “Eu não acordei um dia e decidi mudar tudo, foi um trabalho longo. Eu não critico quem faz a produção convencional e nem incentivo (outros produtores)”, conta. Pressão ambiental ‘sem volta’ O ano de 2005 foi crucial para a mudança. A fazenda de Vian é vizinha do Parque Nacional das Emas e, naquele ano, houve uma série de restrições impostas pelo governo federal para os agricultores da região, especialmente em relação à aplicação de agrotóxicos. “Eu pensei ‘isso não vai ter volta’, essa pressão ambiental é muito forte, eu tenho que mudar e fazer diferente”, lembra o produtor. Vista geral da Fazenda Sélia, em Mineiros, sudoeste de Goiás Eliane de Castro/Divulgação A partir disso, Vian começou a pesquisar e se espelhar em práticas adotadas em outras partes do Brasil e do mundo. A primeira descoberta foi em 2006, quando conheceu uma técnica para tratamento de sementes, que é a aplicação de defensivos para proteger a planta do ataque de doenças no solo, usando apenas produtos biológicos. “Eu fui experimentando, não fiz em toda área, mas o resultado foi excelente. A gente produziu mais do que na área que tinha tratamento químico. Outra recomendação foi substituir um adubo solúvel por um natural. Já são 7 anos utilizando pó de rocha e não uso nada químico”, conta. Ano após ano, ele foi incorporando técnicas da agricultura orgânica na atividade. O cultivo 100% livre de produtos químicos só foi alcançado há 3 anos. Como é feito A produção orgânica não segue uma regra, o agricultor precisa entender as características da região dele e do solo, por exemplo. A partir disso é que ele vai traçar sua própria estratégia. “É uma caixa de ferramenta, você escolhe o que vai usar. Quer usar pó de rocha na adubação? Homeopatia para controlar insetos? O produtor começa por onde ele quiser, só que o principal é o conhecimento”, explica Vian. Tudo começa nas sementes: por lá os grãos são de soja comum, nada de transgênicos. Após isso, ele faz o tratamento biológico do que vai ser plantado, para proteger a planta que vai nascer do ataque de doenças do solo. Antes e dias após o plantio, vem a parte mais trabalhosa: o controle de ervas daninhas. Em uma produção normal, o agricultor usaria agrotóxicos para matar essas plantas. Já na produção de Rogério é o uso da enxada rotativa que garante o controle da praga. É um gasto extra que torna a produção orgânica viável. “O controle é feito na enxada, de 30 a 40 funcionários capinando. Só não existe mais orgânico porque ainda não tem uma solução biológica para substituir o herbicida, senão todo mundo faria”, diz Vian. Durante o período de crescimento das plantas, é hora de fazer o controle de insetos e de doenças, como a ferrugem. A calda bordalesa, uma mistura de sulfato de cobre, cal e água utilizada há séculos na agricultura orgânica, garante parte da proteção. Outra parte é controlada por bactérias e microorganismos que Vian reproduz na própria fazenda. Biofábrica onde Rogério reproduz bactérias e microrganismos para serem aplicados na lavoura Eliane de Castro/Divulgação “Nós fazemos também o Manejo Integrado de Pragas. Temos um monitor de lavoura, que entra a cada 3 dias para ver como estão as pregas e seus inimigos. Fazemos um acompanhamento ferrenho.” Quando a soja chega ao ponto de colheita, uma certificadora de orgânicos analisa a lavoura e libera a retirada dos grãos. Depois de colhida, a soja é armazenada ou entregue aos compradores. Custos e mercado “Eu sempre falo que eu sou agricultor, técnico agrícola, engenheiro agrônomo e agricultor sustentável. Pratico um modelo ambientalmente correto, socialmente justo e com rentabilidade maior. Não é simplesmente produzir, você tem que produzir o melhor alimento para você, sua família e para os outros”, resume Vian. Para muitos sojicultores, a impressão é a de que este tipo de produção custa mais caro, mas o produtor diz que não é bem assim. Dados da Federação de Agricultura de Goiás (Faeg), estado de Vian, mostram que os gastos com insumos, como fertilizantes e pesticidas, é 114% maior do que o custo dos bioinsumos. Considerando todos os itens de produção, a soja com tratamento químico é 26% mais cara do que a orgânica. “É um paradigma de que é mais caro fazer orgânico. No meu caso, ele é mais barato. Para se ter uma ideia, o custo da produção convencional é de R$ 3.500 por hectare. Na produção orgânica, o meu custo ficou em R$ 2.000 por hectare”, afirma. Apesar de um primeiro ano com baixa produtividade, Rogério Vian percebeu que o retorno financeiro da soja orgânica era muito interessante. “No primeiro ano, conseguimos mais no preço da saca de soja. É muito compensador, você gasta quase 50% menos e recebe cerca de 35% mais pela saca”, diz. Depois disso, os dois anos seguintes foram com números próximos e, em algumas áreas, acima da média nacional, compensando ainda mais a aposta nesse tipo de produção. Quem compra Vian diz que tem sido “uma luta” desenvolver o mercado para a soja orgânica, mas, em relação ao primeiro ano, ele vem observando mais interesse das indústrias pelo produto. “De 2 anos para cá, começaram a aparecer compradores, gente querendo te financiar. As empresas perceberam que as pessoas estão querendo alimentos mais saudáveis. Isso te garante preço, conseguimos fechar contratos melhores”, explica. “O orgânico não cresce mais porque não há fomento por parte das empresas, não garantem compra e nem oferecem assistência. O produtor precisa ir atrás, mas, depois que você vai atrás, existe mercado.” Grupo para ajudar outros agricultores Se a demanda está crescendo, é sinal de que existe uma oportunidade para mais agricultores entrarem neste tipo de produção. Pensando nisso, Rogério Vian e outros produtores rurais criaram o Grupo Associado de Agricultura Sustentável (GAAS), que reúne agricultores e pesquisadores para troca de experiências e de técnicas. “A adesão é fantástica. Nosso grupo começou no WhatsApp e, hoje, já realizamos 6 encontros de campo, 3 fóruns nacionais… já temos mais de 3 mil membros do Brasil inteiro”, conta. Encontro do GAAS realizado em 2019, que reuniu produtores e pesquisadores para debater uma agricultura mais sustentável Eliane de Castro/Divulgação A ideia é que produtores e agrônomos conversem, apresentem problemas e soluções para que outros possam descobrir novos métodos naturais de controle de pragas e doenças na lavoura. “Queremos trabalhar com informação, a natureza está aí há bilhões de anos e precisamos aprender como ela funciona, equilibrar o sistema”, diz Vian. Outro plano é, no futuro, viabilizar a criação de um selo de sustentabilidade que pague mais pelo produto, além de ter um canal para conversar diretamente com o consumidor e mostrar os benefícios que o produto orgânico tem. Produtor organiza grupo para compartilhar experiências de agricultura orgânica “Não tem volta. Nos países que têm mais dinheiro e mais instrução, a indústria está sendo cobrada pelos consumidores por alimentos mais saudáveis.” "A gente ouve das empresas ‘temos dinheiro, o que a gente precisa é do produto’. Quem largar na frente tem uma grande oportunidade”, explica Rogério Vian. Preservação e história Como boa parte dos produtores rurais, Rogério Vian também é filho de agricultores. É considerado um “matucho”, já que nasceu em Mato Grosso, mas a família é natural do município de Colorado, no Rio Grande do Sul. Rogério Vian (centro) ao chegar em Mineiros, Goiás, em 1979 Arquivo pessoal A família chegou junto com a expansão do Centro-Oeste, quando o governo militar à época queria ocupar o território brasileiro e oferecia terras baratas para que agricultores começassem a produzir. “Na ida dos meus pais para lá (Mato Grosso), não tinham quase nada. Para piorar, o caminhão deles pegou fogo, destruiu tudo. Só ficaram com um trator sem pneu e a roupa do corpo”, relembra. A mudança para Goiás ocorreu poucos anos depois. O motivo é que Rogério pegou malária e a cidade de Mineiros era conhecida por ter um bom sistema de saúde. Com isso, os pais dele compraram uma propriedade e se mudaram para a região. No começo, a produção da família era de arroz, uma tática comum para melhorar o solo para viabilizar o cultivo de outros alimentos. Depois, iniciou-se o plantio da soja, que é uma cultura mais rentável. Primeiras instalações da fazenda da família de Rogério, na década de 1980 Rogério Vian/Arquivo pessoal Nesse período, Rogério Vian fez colégio agrícola e cursou a faculdade de agronomia. Só depois é que começou a ajudar nos negócios da família para, em 2002, assumir a gestão agronômica da propriedade. Sempre interessado em novidades, tentava convencer os pais a utilizarem técnicas mais modernas, mas havia resistência. Porém, aos poucos e às vezes escondido, Vian dava um jeito para aplicar suas ideias. “Eu ia fazer meus testes escondidos, era difícil de convencer meu pai. Os pioneiros acabam pagando um preço maior porque tudo era no instinto, não havia pesquisa. Meu pai mesmo falava ‘vamos deixar os outros fazerem e depois, se der certo, a gente faz’”, lembra Rogério. Com a morte dos pais, em 2004, ele assumiu todo o negócio. Desde de então, a sustentabilidade passou a ser o foco da propriedade. Fazenda Sélia, de propriedade de Rogério Vian, em Mineiros, Goiás Eliane de Castro/Divulgação Rogério tem uma área de 990 hectares, sendo que cerca de 400 são utilizados para a produção orgânica, outros 356 hectares são de matas, destinadas como áreas de proteção permanente e reserva legal. Já o restante é utilizado para o cultivo de cana-de-açúcar e soja convencional. “Eu quero produzir um alimento que vá direto para a mesa do consumidor, isso pode agregar muito mais valor. O dinheiro também é importante, a sustentabilidade precisa ser econômica, social e ambiental.” VÍDEOS: Agro, a indústria-riqueza do Brasil Initial plugin text



Prefeitura abre processo seletivo emergencial para contratação de psicólogo e químico em Ouro Verde


30/09/2020 15:01 - g1.globo.com


Inscrições devem ser feitas pela internet até o dia 6 de outubro. Remuneração varia de R$ 1.938,73 a R$ 2.285,19. Processo seletivo tem inscrições abertas até dia 6 de outubro Divulgação A Prefeitura de Ouro Verde abriu vagas para um processo seletivo emergencial destinado à contratação temporária por tempo determinado de profissionais de nível superior. As oportunidades são ofertadas para os cargos de psicólogo e químico, com uma vaga cada. Além da escolaridade requerida, é necessário que o candidato tenha registro no respectivo conselho profissional. Os contratados deverão atuar em carga horária de 30 a 40 horas semanais e serão beneficiados com salário base mensal que alterna entre os valores de R$ 1.938,73 a R$ 2.285,19. De acordo com o edital, dentre as atividades que serão desempenhadas pelos profissionais aprovados e contratados constam as seguintes atribuições: Psicólogo: vai atuar nas áreas clínica/social e educacional, estudar, pesquisar e avaliar o desenvolvimento emocional e os processos mentais e sociais de indivíduos, grupos e instituições, com a finalidade de análise, tratamento, orientação e educação. Serão responsáveis por diagnosticar e avaliar distúrbios emocionais e mentais e de adaptação social, elucidando conflitos e acompanhando o paciente durante o processo de tratamento ou cura, investigando os fatores inconscientes do comportamento individual e grupal. Químico: vai realizar e supervisionar ensaios e análises químicas e físico-químicas. exercer a vigilância da qualidade da água em sua área de competência, realizar análises químicas da água e esgoto periodicamente, produzir substâncias, interpretar dados químicos, monitorar impactos ambientais provocados por substâncias, acompanhar e supervisionar a dosagem dos produtos químicos a serem lançados na água em todos os poços de captação do município, alimentar os sistemas eletrônicos referentes à análises químicas e coordenar as atividades químicas laboratoriais e industriais. Os interessados devem se inscrever pela internet até o dia 6 outubro. Veja mais notícias em G1 Presidente Prudente e Região.



'Como comecei negócio milionário vendendo anotações de aula'


30/09/2020 14:56 - g1.globo.com


Eugene Cheow não precisou de muito dinheiro para começar seu negócio. Depois de passar em uma difícil prova em Singapura, ele simplesmente colocou suas anotações à venda na internet. A ideia se mostrou inteligente e lucrativa. Eugene Cheow é um estudante de negócios de Singapura (na foto, aparece durante uma viagem de intercâmbio no México). Eugene Cheow Eugene Cheow abre um sorriso e diz, meio brincando: "Posso colocar um programa de estudos inteiro em meus mapas mentais." "Também mergulho e gosto de ir tomar café de graça no World Trade Center", conta. É assim que Cheow, um estudante de negócios de 24 anos na Singapore Management University, resume sua vida durante uma ligação pelo Zoom de uma hora entre Londres e seu quarto na casa dos pais, em Singapura. Falamos sobre aprendizado, negócios e, acima de tudo, recursos e experiências de vida, indo das águas mornas do Sudeste Asiático à floresta urbana da Cidade do México. Primeiro, vamos ao motivo pelo qual Cheow ganhou alguma notoriedade. Recentemente, depois de passar, com louvor, em um exame duplo para se tornar um corretor de imóveis em Singapura, Cheow colocou suas anotações, que ele chama de "mapas mentais", à venda pela internet. Cheow não foi o primeiro a tentar lucrar com seu êxito, mas seu material de estudo foi um sucesso. Ele já vendeu cerca de 1,5 mil desses "mapas mentais", chegando a ganhar mais de US$ 1 mil por semana (mais de R$ 5 mil), e depois transformou suas anotações de estudo em um negócio. Requisitos elevados Para se tornar um corretor de imóveis em Singapura, é necessário fazer um curso de 60 horas e passar em uma prova de duas etapas chamada RES. "Não é exatamente um processo fácil. Como você sabe, Singapura tem uma regulamentação pesada", disse Cheow à BBC. "Percebi que havia uma grande demanda por um método de aprendizagem rápido." Por uma taxa, os usuários podem baixar os 16 "mapas mentais" que Cheow usou para estudar para os exames. Mapas mentais são formas gráficas de representar conceitos e ideias, tornando mais fácil para o cérebro visualizar como eles se relacionam entre si. Os mapas mentais de Cheow contêm conceitos da legislação, de marketing, fórmulas matemáticas, tabelas e vários elementos do programa de estudo. Cheow diz que os mapas mentais ajudam os alunos a 'conectar o aprendizado'. Eugene Cheow "Os mapas ajudam você a conectar o aprendizado. Eles fornecem uma visão macro de qualquer assunto, mas, se quiser, você pode aprofundar em áreas específicas", explica Cheow. "E se você tiver uma dúvida sobre um determinado assunto, pode rastrear as informações de volta ao mapa mental, em vez de ter que ler o livro e um capítulo inteiro para responder a essa pergunta", diz. "Você engana seu cérebro para que ele estude, o que é apenas uma maneira elegante de dizer que é outra forma de aprendizado." Comunicação Cheow diz que deve suas habilidades de ensino e comunicação não verbal à sua paixão pelo mergulho, que ele pratica desde os 14 anos. Três anos atrás, depois de se tornar um mergulhador "master", ele também se tornou um instrutor, levando grupos para o mar e frequentemente viajando para pontos de mergulho nas Filipinas, Indonésia e Malásia. "Como instrutor de mergulho, você percebe que o idioma é uma vantagem, mas não uma necessidade, na comunicação", diz ele. "Você não consegue falar embaixo d'água, não pode dizer 'olá' ou 'minha máscara está vazando'. Tudo é expressão facial e gestos com as mãos." Cheow diz que o mergulho deu a ele duas qualidades adicionais: primeiro, a capacidade de se conectar com pessoas de diferentes culturas, o que vem da convivência com mergulhadores e estudantes que procuram locais de mergulho ao redor do mundo. Em segundo lugar, o gosto pela aventura, "particularmente para um menino de Singapura como eu, que é bastante privilegiado em termos de criação e educação". Conexão humana Cheow gosta de contar a história de quando acabou tomando um "cafecito" na sede mexicana de uma multinacional de recursos humanos no World Trade Center (WTC) da Cidade do México. Para um estudante de negócios, diz ele, visitar uma torre do WTC "é um dos destaques de ir para o exterior". No ano passado, Cheow fez um intercâmbio de estudantes de negócios na charmosa cidade mexicana de Puebla, a sudeste da capital do país. Ele descreve Puebla como "bonita e pitoresca" e os mexicanos, como "muito amigáveis". Então, quando apareceu sem compromisso no WTC na Cidade do México, ele conseguiu subir até o 27º andar e realizar seu sonho de visitar um escritório do WTC no exterior. O gerente cubano ficou surpreso, a princípio, mas mostrou interesse em ouvir sobre o sistema educacional de Singapura. Antes de deixar o México, Cheow voltou ao WTC com lembranças de Singapura e foi recebido pelo técnico cubano e sua equipe com uma garrafa de rum. Os especialistas em RH aplicaram-lhe um teste de personalidade e o resultado não surpreendeu: Cheow teve uma pontuação elevada em comunicação. 'Sucesso medido' A empresa de Cheow, RES Tutor, é um negócio de um único produto, ajudando os clientes a estudarem para o exame RES e se tornarem corretores de imóveis em Singapura. Ele diz que está pensando em expandir o negócio para o mercado de certificação de TI — mas, ao mesmo tempo, quer sucesso "de forma comedida, para garantir que o modelo de negócio funcione". "Os clientes estão gastando 80 dólares de Singapura (US$ 59, ou R$ 330). Você precisa ter certeza de que o valor que está dando à outra pessoa é, embora intangível, valioso", diz ele. Curiosamente, o próprio Cheow não tem planos de se tornar um corretor de imóveis. Ele só quer estar pronto para ajudar a mãe, que tem uma imobiliária há 30 anos, caso ela precise. Antes da pandemia de Covid-19, ele iria começar um estágio no Marina Sands Bay, um resort que foi classificado como o cassino autônomo mais caro do mundo quando foi inaugurado em 2010. Cheow diz que o RES Tutor provavelmente se tornará um negócio que ele terá "paralelamente". Por enquanto, ele está simplesmente gostando de ajudar as pessoas a atingirem seus objetivos de carreira. "Não tenho apenas clientes. Não é transacional", diz ele. "Eu gosto de criar um relacionamento." "Quando eles fazem o teste e me dizem o resultado, fico maravilhado, porque, na verdade, eles estão dizendo que meus mapas os ajudaram." Conheça empreendedores que estão superando a crise



Auxílio Emergencial: veja quantas pessoas vão receber as parcelas de R$ 300; trabalhador só saberá se tem direito na hora do pagamento


30/09/2020 14:45 - g1.globo.com


Estão dentro dessa prorrogação 42,4 milhões de pessoas que não estão no Bolsa Família. E o total que vai receber apenas uma parcela é de 1,4 milhão. Confira as datas para o pagamento da nova fase do Auxílio Emergencial de R$ 300,00 O governo divulgou o calendário do pagamento das parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial nesta semana. No total, estão dentro dessa prorrogação 42,4 milhões de pessoas que não estão no Bolsa Família. No entanto, pouco mais da metade desse total vai receber as quatro parcelas: 27 milhões de pessoas, o equivalente a 63,6%. Já o total de pessoas que vai receber apenas uma parcela é de 1,4 milhão. Veja abaixo: 27 milhões receberão as quatro parcelas de R$ 300 8,1 milhões de pessoas receberão três parcelas 5,9 milhões receberão duas parcelas 1,4 milhão receberá uma parcela A estimativa do Ministério da Cidadania é que 5,7 milhões de pessoas que receberam as parcelas de R$ 600 não devem receber nenhuma das quatro parcelas de R$ 300. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio José Barreto, essa redução é motivada pelas regras mais restritas para a prorrogação do pagamento benefício, além de melhorias que foram feitas no cruzamento dos dados dos beneficiários. Veja o calendário completo de pagamentos Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial Veja como serão os pagamentos de R$ 300 Beneficiário pode não receber todas as parcelas de R$ 300; entenda SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Beneficiário só saberá se tem direito no momento do pagamento De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, o beneficiário só saberá que vai ter direito às parcelas de R$ 300 no momento do pagamento, dentro do aplicativo Caixa Tem. “Todos estarão recebendo dentro dos ciclos, até o último ciclo todo mundo vai receber naquele mês de acordo com o nascimento. Alguns estarão recebendo a 5ª parcela, outros da extensão, mas naqueles dias de pagamento todo mundo estará recebendo”, disse. O presidente da Caixa explicou o pagamento das parcelas adicionais dependerá de quantas parcelas o beneficiário já recebeu. “Todo mundo recebe no mesmo dia, a única diferença é qual parcela, mas não há diferença de calendário”, afirmou. O beneficiário pode ainda verificar no aplicativo ou site do Auxílio Emergencial até quando está previsto para ele receber o benefício ou ainda ligar no 111 e perguntar se vai receber as parcelas adicionais de R$ 300. No entanto, a situação pode mudar, já que será feita uma reavaliação mensal dos beneficiários para verificar se eles ainda se enquadram nos critérios para receber o benefício. Pagamentos até dezembro As regras do chamado Auxílio Emergencial Extensão preveem que as parcelas de R$ 300 serão pagas até dezembro apenas para quem já estava recebendo as de R$ 600. Com isso, só conseguirá receber as nove parcelas - cinco de R$ 600 e quatro de R$ 300 - quem começou a receber em abril. Depois disso, o trabalhador terá direito a menos parcelas de R$ 300. Esses trabalhadores que receberam em abril a primeira parcela do benefício original de R$ 600 receberão as quatro parcelas adicionais em setembro, outubro, novembro e dezembro. Para esses beneficiários, os pagamentos começaram nesta quarta-feira (30) – veja aqui o calendário. Quem recebeu até agora 4 ou menos parcelas de R$ 600 vai receber também menos parcelas de R$ 300. Isso acontece porque o pagamento das parcelas de R$ 300 começa após o término do pagamento das parcelas de R$ 600. Fica assim: Trabalhador que recebeu a última parcela de R$ 600 em agosto vai receber 4 parcelas de R$ 300: em setembro, outubro, novembro e dezembro Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em setembro vai receber 3 parcelas de R$ 300: em outubro, novembro e dezembro Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em outubro vai receber 2 parcelas de R$ 300: em novembro e dezembro Trabalhador que receber a última parcela de R$ 600 em novembro vai receber apenas 1 parcela de R$ 300, em dezembro Ao todo, 48 milhões de beneficiários fora do Bolsa Família receberam o Auxílio Emergencial desde o início do programa, segundo a Caixa Econômica Federal. Assim, 56,25% dos aprovados (27 milhões) deverão receber o limite de mais quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais). VEJA OS CALENDÁRIOS AO FINAL DESTA REPORTAGEM Auxílio emergencial: veja as mudanças em 1 minuto Critérios mais rígidos Além do menor número de parcelas para parte dos beneficiários, o Auxílio Emergencial Residual também vai atingir menos trabalhadores por causa das novas regras que restringem o pagamento. Será feita uma reavaliação mensal dos beneficiários para verificar se eles ainda se enquadram nos critérios. Não vai receber parcelas de R$ 300 quem: Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes Esteja preso em regime fechado Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 Mora no exterior Tem renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família) Conseguiu emprego formal após o recebimento do Auxílio Emergencial Volta ao Bolsa Família O pagamento das parcelas de R$ 300 restantes já começou para quem recebe o Bolsa Família, mas com redução de quase 3 milhões de beneficiários. Isso se deve à queda pela metade do valor da parcela do Auxílio Emergencial. Se o valor do Bolsa Família for igual ou maior que R$ 300, o beneficiário receberá o valor do Bolsa. O cálculo do valor do benefício para os trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família é feito por família: o auxílio emergencial residual será a diferença entre a soma dos R$ 300 recebidos por cada beneficiário da família (ou R$ 600 no caso de mulher chefe de família) e o valor que a família habitualmente recebe como Bolsa Família. Se o valor do Bolsa for maior, a família receberá apenas este. Quase 500 mil novos aprovados De acordo com a Caixa Econômica Federal, já foram pagos R$ 214 bilhões para 67,2 milhões de pessoas. De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, 492 mil pessoas acabaram de ser incluídas no benefício após passarem por processo de análise devido a contestações. Esses novos aprovados, que fizeram a contestação entre os dias 20 de julho e 25 de agosto, receberão todas as cinco parcelas, sendo duas delas pagas em dezembro. Assim, o número passa para 67,7 milhões de pessoas, incluindo os beneficiários do Bolsa Família e CadÚnico. De acordo com a Caixa, 55,7 mil pessoas ainda estão em 1ª análise para conseguir o benefício, 231,6 mil estão em reanálise e 41,4 milhões foram considerados inelegíveis. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, há 250 mil demandas judiciais relacionadas a pedidos de Auxílio Emergencial. Caso sejam aceitas, os beneficiários receberão as cinco parcelas de R$ 600, garantiu. De acordo com Barreto, será possível contestar o auxílio residual só depois que da análise das demandas relacionadas às parcelas de R$ 600. Calendários de pagamentos das parcelas de R$ 300 Os calendários de pagamento das parcelas de R$ 300 levam em consideração a data em que o beneficiário recebeu a primeira das parcelas originais de R$ 600. Veja abaixo: Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em abril Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em maio Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em junho Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em julho Economia G1 Veja análises sobre o pagamento do Auxílio Emergencial de R$ 300:



Indicador de Incerteza da Economia cai 14,5 pontos em setembro, aponta FGV


30/09/2020 14:16 - g1.globo.com


Resultado reflete a constatação pelos agentes de um retorno sólido das atividades econômicas e a continuidade do movimento de relaxamento de medidas de isolamento social. O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br) da Fundação Getulio Vargas (FGV) caiu 14,5 pontos em setembro, para 145,8 pontos, no quinto recuo consecutivo do indicador. Em médias móveis semestrais, o indicador recuou 3,6 pontos, após manter tendência de alta desde janeiro deste ano. “O resultado reflete a constatação pelos agentes de um retorno sólido das atividades econômicas e a continuidade do movimento de relaxamento de medidas de isolamento social impostas pela pandemia de covid-19", afirma Anna Carolina Gouveia, economista da FGV, em comentário no relatório. Apesar da melhora, o indicador ainda está 9 pontos acima do nível máximo anterior a pandemia, alcançado em setembro de 2015. "O resultado ainda incômodo ocorre sob influência majoritária da crise de saúde e seu impacto sobre a economia, com destaque para a piora da situação fiscal do país”, diz a economista. Incerteza na economia setembro/2020 Economia G1 Os dois componentes do Indicador de Incerteza caminharam na mesma direção em setembro. O componente de Mídia recuou 13,5 pontos, para 130,0 pontos, contribuindo negativamente em 11,8 pontos para a queda do indicador geral no mês. Já o componente de Expectativas contribuiu negativamente em 2,7 pontos para o comportamento do IIE-Br, ao recuar 12,6 pontos, para 190,0 pontos. Esta é a primeira vez que o indicador fica abaixo dos 200 pontos desde o início da pandemia. Assista as últimas notícias de economia



Empresa vence leilão da Casal com lance de R$ 2 bilhões


30/09/2020 14:14 - g1.globo.com


BRK passa a ser responsável pela distribuição de água e pela coleta de esgoto na região metropolitana de Maceió. Leilão aconteceu após vaivém jurídico e pedido de suspensão. BRK vence leilão da Casal com lance de R$ 2 bilhões A BRK Ambiental venceu o leilão da Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) realizado nesta quarta-feira (30). Com um lance de R$ 2,009 bilhões, a empresa privada vai ser responsável pelo fornecimento de água e coleta de esgoto na região metropolitana de Maceió pelos próximos 35 anos. O leilão aconteceu na bolsa de valores B3, em São Paulo. O governador Renan Filho (MDB) e representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) participaram do encontro, que foi transmitido ao vivo pela internet. Agora, a Casal ficará responsável pela captação e tratamento da água, mas vai repassá-la para o parceiro privado distribuir aos clientes. O leilão só foi possível depois de sancionada a lei que facilita a participação da iniciativa privada no setor de saneamento básico pelo presidente Jair Bolsonaro em julho deste ano. Após o leilão da Casal, Renan Filho falou, em entrevista coletiva, que a quantia conseguida com a concessão dos serviços vai ajudar a girar a economia do estado. "Vai haver forte geração de emprego. Durante as obras que vão ser feitas vamos precisar de mais pessoas trabalhando. Com relação aos benefícios, a saúde é diretamente afetada, já que a maior causa de morte ainda são as doenças causadas pela falta de saneamento. O turismo também vai ser beneficiado quando tivermos 100% do esgotamento garantido", disse. Renan Filho bate martelo após BRK vencer leilão da Casal com lance de R$ 2 bilhões Márcio Ferreira Presidente do TJ-AL derruba decisão que suspendia leilão da Casal O leilão tinha sido suspenso na terça-feira (29) pela desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento, mas a decisão foi derrubada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, o desembargador Tutmés Airan, na manhã desta quarta. A suspensão havia sido requerida pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de Marechal Deodoro que argumentou sobre a inexistência de consulta e realização de audiências públicas junto às cidades atendidas pela concessão do serviços. Em novembro do ano passado, os funcionários da Casal fizeram um protesto em Maceió contra a privatização da companhia. Na época, um plano de Parceria Público Privada para a Casal foi apresentado. Veja os municípios atendidos pela Casal: Atalaia Barra de Santo Antônio Barra de São Miguel Coqueiro Seco Maceió Marechal Deodoro Messias Murici Paripueira Pilar Rio Largo Santa Luzia do Norte Satuba Casal é vendida por R$ 2 bilhões Reprodução/Casal Veja os vídeos mais recentes do G1 AL



Imposto de Renda 2020: Receita diz que 910 mil contribuintes estão na malha fina


30/09/2020 14:11 - g1.globo.com


Número representa 2,74% do total de declarações entregues. Restituições do quinto e último lote do IR serão pagas nesta quarta-feira (30). Receita diz que 910 mil contribuintes estão na malha fina Marcello Casal Jr/Agência Brasil A Receita Federal informou nesta quarta-feira (30) que 910.996 contribuintes tiveram suas declarações do Imposto de Renda de 2020 retidas na chamada "malha fina" devido a inconsistências nas informações prestadas. Quando entram na malha fina, as declarações dos contribuintes ficam retidas para verificação de pendências e eventual correção dos erros. As restituições são pagas somente após a questão ter sido resolvida. A quantidade de declarações retidas em malha representa 2,74% do total de declarações apresentadas neste ano entre março e setembro. "São 693.981 declarações com Imposto a Restituir (IAR), representando 76% do total; 192.126 declarações ou 21% do total, com Imposto a Pagar (IAP) e 24.889, com saldo zero, representando 3%, do total', informou a Receita. As restituições do quinto e último lote de restituição do Imposto de Renda 2020 serão pagas nesta quarta-feira. Serão creditados R$ 4,3 bilhões para 3.199.567 contribuintes. Veja como consultar se sua declaração foi liberada Veja o que fazer se você não declarou Principais motivos Segundo informou a Receita, os principais motivos que levaram à retenção de declarações foram: Omissão de rendimentos de titulares e dependentes declarados: 46% do total; Deduções de despesas médicas: 26%; Divergências entre o IRRF informado na declaração e o informado em DIRF: 21%; Deduções do imposto devido, recebimento de rendimentos acumulados e divergência de informação sobre pagamento de carnê-leão ou imposto complementar: 7%. Caí na malha fina, e agora? O que fazer quando cair na malha fina? Delegado da Receita Federal explica Para saber se teve a declaração retida, o contribuinte deverá acessar a página da Receita Federal na Internet (http://idg.receita.fazenda.gov.br). Quem tem expectativa de receber restituição, deve consultar o Extrato do Processamento da DIRPF, em "Meu Imposto de Renda". Lá é possível saber se está tudo correto com a Declaração apresentada, ou se há alguma pendência. De acordo com a Receita, se a declaração foi retida em malha fina, há três alternativas: Corrigir a declaração apresentada, sem qualquer multa ou penalidade, por meio de declaração retificadora, se houver erros no que foi declarado. Essa correção não será possível depois que o contribuinte for intimado ou notificado; Aguardar comunicado da Receita para apresentar documentação que explique a pendência apresentada no Extrato; Apresentar, de forma virtual, todos os comprovantes e documentos que atestam os valores declarados e apontados como pendência no extrato. Para apresentar os documentos, é necessário verificar as orientações do Extrato do Processamento da DIRPF e formalizar um DDA (Dossiê Digital de Atendimento para a Malha Fiscal). "A apresentação dos documentos, neste caso, é de inteira responsabilidade do contribuinte, que poderá ainda assim ser intimado ou receber uma notificação", explica a Receita. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia D



Facebook começa a integrar mensagens do Instagram e Messenger


30/09/2020 13:57 - g1.globo.com


Aplicativos irão se comunicar entre si, mas caixas de entrada permanecem separadas. Iniciativa faz parte de plano da rede social de reunir chats em uma só interface. Instagram e Messenger ganham possibilidade de comunicação entre plataformas. AP Photo/Jenny Kane O Facebook anunciou nesta quarta-feira (30) que vai começar a integrar as mensagens do Instagram com o Messenger. Os usuários do Facebook poderão começar conversas e chamadas de vídeo com pessoas que estão no Instagram e vice-versa, mesmo que um dos envolvidos não tenha conta em uma das redes sociais. A rede social diz que não está realizando uma fusão as caixas de entrada do Messenger e Instagram, mas que adicionou a possibilidade de comunicação entre as plataformas. Recursos do Messenger serão adicionados à interface de mensagens diretas do Instagram, incluindo a funcionalidade "Assistir Juntos" que permite ver vídeos em conjunto durante videochamadas e agora inclui conteúdos do IGTV. Instagram vai avisar da integração entre os aplicativos. Divulgação/Facebook O Instagram também ganhou o encaminhamento de conteúdos, opção de responder mensagens específicas, personalização das cores do chat e reações com emojis personalizados. A companhia adicionou uma novidade para os dois aplicativos: um modo temporário que apaga mensagens depois de serem visualizadas ou quando você fecha o bate-papo. Pessoas poderão conversar com amigos do Instagram e Facebook a partir de qualquer um dos apps. Divulgação/Facebook A empresa diz que a integração está em fase de testes em alguns países e que planeja expandir em breve para todo o mundo. O G1 entrou em contato com a assessoria do Facebook para esclarecer se o Brasil está entre os países contemplados com a atualização e, até a publicação desta reportagem, não havia obtido resposta. Os usuários poderão optar por não permitir a comunicação entre os apps. Para isso, é preciso navegar até as configurações de privacidade dos aplicativos, ir até os controles de mensagens e selecionar quem pode aparecer na sua lista de conversas. Uma das opções permite que usuários do Messenger apareçam na lista de "Solicitações" de bate-papos do Instagram, por exemplo. Usuários poderão optar pela integração nas opções de privacidade. Divulgação/Facebook A iniciativa faz parte de um plano para integrar os chats de todos os aplicativos da empresa: Facebook Messenger, Instagram e WhatsApp. Em 2019, o presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, disse que planejava "tornar possível mandar mensagens aos seus contatos usando qualquer um dos serviços". A ideia não é fundir os aplicativos, mas integrá-los. Saiba mais: Facebook anuncia integração com Instagram e Messenger para pequenas empresas Estes são todos os recursos que estarão no Instagram e Messenger: Comunicação entre aplicativos: converse com amigos e familiares no Instagram e no Messenger usando qualquer um dos aplicativos para enviar mensagens e participar de chamadas de vídeo; Assistir juntos: assista a vídeos do Facebook Watch, IGTV, Reels (em breve), como séries e filmes com amigos e familiares durante uma chamada de vídeo; Modo Temporário: escolha um modo em que as mensagens vistas desaparecem depois de serem visualizadas ou quando você fecha o bate-papo; Figurinhas de selfie: crie uma série de adesivos de boomerang com a sua selfie para usar em uma conversa; Cores do bate-papo: personalize suas conversas com degradê de cores; Reações de emoji personalizadas: crie um atalho com emojis para reagir rapidamente às mensagens de amigos; Encaminhamento: compartilhe conteúdos com até cinco amigos ou grupos; Respostas: responda a uma mensagem específica em seu chat; Efeitos de mensagem adicione efeitos animados às mensagens; Controles de mensagens: decida quem pode enviar mensagens diretamente para você e quem não pode; Mais recursos de denúncia e atualizações de bloqueio: denuncie conversas completas, além de mensagens únicas no Instagram, e receber sugestões proativas de bloqueio no Instagram e no Messenger, ao adicionar suas contas à nova Central de Contas. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1 m



China suspende importações de carne bovina de unidade da Minerva Foods por uma semana


30/09/2020 13:30 - g1.globo.com


Governo chinês não informou o motivo da suspensão, mas disse que, após o período, a autorização será reativada. Empresa e Ministério da Agricultura disseram que não vão comentar o assunto. Frigorífico de carne bovina REUTERS/Paulo Whitaker O governo da China informou nesta quarta-feira (30) que um frigorífico de carne bovina da Minerva Foods, localizado em Barretos, interior de São Paulo, terá suas importações suspensas por uma semana a partir desta quinta-feira (1º). A Administração Geral de Alfândegas da China (GACC, na sigla em inglês) não explicou os motivos da suspensão. De acordo com o boletim, as importações serão retomadas automaticamente após o vencimento do período, no dia 8 de outubro. Procurada pelo G1, a Minerva Foods disse que não vai comentar a decisão. O Ministério da Agricultura afirmou que não vai se manifestar sobre o assunto. Suspensão de frutos do mar Na semana passada, a China também suspendeu por uma semana as importações de pescados e frutos do mar da empresa brasileira Monteiro Indústria de Pescados Ltda. O prazo de embargo termina no sábado (3). Neste caso, o motivo apontado pelo governo chinês foi a presença do coronavírus na embalagem de uma das cagas recebidas no país. "Foram coletadas, de forma aleatória, 19 amostras de pescados, mas em apenas uma delas, especificamente na embalagem primária, foi detectado o vírus. Não houve, no entanto, a liberação de laudo laboratorial pelas autoridades chinesas", disse o Ministério da Agricultura do Brasil à época. A Associação Brasileira das Indústrias de Pescados (Abipesca), cujos integrantes têm na China um mercado crescente que responde por até 30% dos embarques nacionais, avaliou o caso como algo isolado, e que ainda carece de confirmação. Carne de frango A China já afirmou ter detectado coronavírus em outras embalagens de produtos brasileiros. No dia 13 de agosto, a prefeitura de Shenzhen disse ter encontrado rastros do vírus em um controle de rotina de frango importado do Brasil. O lote pertencia à unidade da cooperativa Aurora, em Xaxim (SC). Dias depois, em 20 de agosto, a própria cooperativa suspendeu temporariamente os embarques de carne de frango da planta de Xaxim para os chineses, até que o episódio seja totalmente esclarecido. Na ocasião, o governo brasileiro afirmou que as autoridades sanitárias de "Shenzhen não souberam informar se os achados se referiam apenas à detecção do material genético do vírus ou ao vírus ativo, nem foram capazes de dar mais informações sobre o suposto achado". VÍDEOS: mais notícias do agronegócio



Congresso cancela sessão que analisaria veto de Bolsonaro à desoneração da folha de empresas


30/09/2020 13:10 - g1.globo.com

Desoneração abarca os 17 setores da economia que mais empregam trabalhadores e, se não for prorrogada, termina no fim do ano. Nova sessão ainda não foi marcada. Senado adia mais uma vez análise de veto que impede prorrogação da desoneração da folha O presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), decidiu cancelar a sessão marcada para esta quarta-feira (30) que analisaria o veto do presidente Jair Bolsonaro à prorrogação da desoneração da folha de pagamento de empresas. A decisão foi comunicada em uma nota da Presidência do Congresso. De acordo com o texto, um dos motivos para o cancelamento é a falta de acordo dos líderes sobre o veto. "Em face da necessidade de que a apreciação de vetos presidenciais, especialmente no sistema remoto, se dê com um mínimo de entendimento sobre os vetos a serem deliberados", afirmou a Presidência do Congresso. Ainda não foi remarcada uma nova data para a sessão. Além do veto à desoneração, outros itensseriam votados pelos parlamentares, como vetos parciais de Bolsonaro ao novo marco do saneamento, à extensão do auxílio emergencial e ao pacote anticrime. A prorrogação da desoneração da folha dos 17 setores que mais empregam no país foi incluída pelo Congresso Nacional na medida provisória que permitiu redução de jornada e salário de funcionários em razão da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Ao sancionar a MP, no entanto, o presidente Jair Bolsonaro decidiu vetar a prorrogação. O veto presidencial precisa ser analisado pelo Congresso — que pode mantê-lo ou derrubá-lo. Com a crise econômica gerada pela pandemia de Covid-19, o país alcançou a taxa de desemprego de 13,8% no trimestre encerrado em julho, a maior para o período desde 2012. Especialistas defendem que a manutenção da desoneração evitará aumento do desemprego. Negociações Nesta terça-feira (29), o senador Eduardo Gomes (MDB-TO), líder do governo, afirmou que o Congresso negocia uma "posição legal" para permitir a desoneração até o fim do ano que vem sem questionamento jurídico. O governo já dá como certa a derrubada do veto, que tem apoio da maioria dos parlamentares. “É um problema jurídico que tem origem em um problema fiscal. Você tem que ter previsão de receita para abrir mão de qualquer outra receita que venha a fazer falta ao Estado. Está na Constituição. Por isso, o reparo deve ter segurança constitucional”, disse o líder do governo na ocasião. De acordo com os dois pareceres, a derrubada do veto não desrespeita a Constituição. Um dos argumentos é que uma emenda constitucional promulgada no ano passado, por ocasião da reforma da Previdência, proibiu apenas a criação de novas desonerações baseadas na substituição da base de cálculo, sem vedar a prorrogação das desonerações já concedidas. A desoneração é baseada no artigo 195 da Constituição, que trata da seguridade social. Entre 1998 e 2019, um parágrafo incluído pelo Congresso Nacional previa que as contribuições sociais de empregador e empresa sobre salários, faturamento e lucro poderiam ter bases de cálculo ou alíquotas diferenciadas para setores, dependendo das características das atividades ou da conjuntura do país. Ao promulgar a Reforma da Previdência, no ano passado, o Congresso alterou esse trecho para manter a possibilidade de alíquota diferenciada, mas sem a possibilidade de base de cálculo diferente. A desoneração da folha dos 17 setores foi instituída em 2011 e altera justamente a base de cálculo, permitindo que a contribuição seja calculada sobre a receita bruta, e não sobre a folha de pagamentos. No entendimento da Mesa Diretora da Câmara, a reforma impede que novos benefícios sejam criados. Como a MP prorroga um benefício criado pela regra anterior, a medida é considerada constitucional pelos técnicos da Casa.



Bovespa fecha em alta, mas tem mês de maior queda desde março


30/09/2020 13:01 - g1.globo.com


Nesta quarta-feira, Ibovespa subiu 1,09%, aos 94.603 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou em alta nesta quarta-feira (30), tentando uma recuperação após cair cerca de 3,5% nas duas primeiras sessões da semana. O sentimento ainda é de cautela entre investidores globais, mas EUA se destaca com perspectiva de novo pacote de estímulos. O Ibovespa subiu 1,09%, a 94.603 pontos. Veja mais cotações Na terça, a bolsa fechou em queda de 1,15%, aos 93.580 mil pontos. Com o resultado, termina o mês com baixa de 4,80% no mês e perda de 18,20% no ano. É o pior mês desde março, quando a bolsa acumulou queda de 29,9%, pior desempenho desde agosto de 1998. Guedes: ‘Renda Cidadã não pode ser financiada por puxadinho’ Cenários Na cena externa, os mercados avaliam o confronto confuso entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e seu rival democrata, Joe Biden, que alimenta a cautela entre os investidores. Enquanto isso, o Reino Unido relatou 7.143 novos casos de coronavírus na terça-feira, maior registro até agora, e a Alemanha parecia determinada a apertar as restrições contra a Covid-19 em um esforço para deter a disseminação do vírus durante o outono e inverno no Hemisfério Norte. Por aqui, as preocupações fiscais têm dominado o radar dos investidores domésticos nas últimas semanas em meio à possibilidade de furo do teto de gastos devido ao impacto econômico da pandemia de Covid-19, que se opõe a um orçamento apertado para 2021. Na véspera, depois da reação negativa do mercado financeiro às propostas do governo para financiar um novo programa de transferência de renda, o presidente Bolsonaro reclamou que precisa de sugestões, não de críticas, e alertou que com o agravamento da crise econômica, "todo mundo vai mal", inclusive o mercado. No fim da tarde de ontem, o secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou que "outras fontes" estão sendo discutidas para possibilitar o Renda Cidadã. Na tarde de hoje, o ministro Paulo Guedes bateu o martelo ao dizer que o governo não usará dinheiro de precatórios para financiar programa social. Nesta quarta, a má repercussão continua pelo lado do Fundeb. A União Nacional dos Dirigentes da Educação Municipal (Undime) e o Conselho Nacional de Secretários Estaduais da Educação (Consed) chamaram o uso do Fundeb de "inconcebível" e "contraditório". O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), fez coro ao time contrário à proposta do governo. Para Maia, não há votos na Câmara para tirar recursos do Fundeb para Renda Cidadã. Variação do Ibovespa em 2020 G1 Economia Veja vídeos: últimas notícias de Economia o



Economia dos EUA tem contração de 31,4% no segundo trimestre em taxa anualizada


30/09/2020 12:56 - g1.globo.com


Dado foi revisado, estimativa anterior era de retração de 31,7% da economia no período. A economia dos Estados Unidos sofreu no segundo trimestre a contração mais forte em ao menos 73 anos por causa dos problemas causados pelo coronavírus, confirmou o governo nesta quarta-feira (30). O Produto Interno Bruto despencou 31,4% em taxa anualizada no trimestre passado, queda mais acentuada desde que o governo iniciou os registros em 1947, disse o Departamento do Comércio em sua terceira estimativa do PIB. Anteriormente o departamento havia informado retração de 31,7% da economia no segundo trimestre. PIB dos EUA no segundo trimestre de 2020 Economia G1 Assista as últimas notícias de economia